Jovem atropelada tem morte cerebral e órgãos doados

A jovem Alzira Vieira da Silva, 27 anos, teve morte cerebral constatada na tarde de sexta-feira (02) na Santa Casa de Araçatuba, local em que estava internada desde a última quarta-feira (28) depois de ter sido atropelada por um carro na via de acesso Sargento Luciano Arnaldo Covolan, em Penápolis. Na ocasião, o autor do atropelamento fugiu sem prestar socorro e apresentou-se horas depois na delegacia de Andradina.

De acordo com informações da assessoria de imprensa da Santa Casa, a jovem sofreu traumatismo craniano e graves lesões cerebrais. Já na quinta, foi aberto um protocolo de atividade encefálica e por volta das 17h de sexta, a Comissão Intra-Hospitalar de Transplantes (CIHT) constatou a morte cerebral da vítima.

Os familiares da paciente autorizaram a doação de órgãos. Equipes do Hospital de Base de São José do Rio Preto estiveram na unidade hospitalar na manhã de sábado (03) para poderem fazer a retirada. O fígado foi encaminhado à Unicamp, em Campinas, onde seria transplantado em um paciente compatível. Já os rins e as córneas foram levados para o HB, de Rio Preto.

O corpo de Alzira será enterrado neste domingo (04) no cemitério municipal de Penápolis.

ATROPELAMENTO

Segundo informações da Polícia Rodoviária, a vítima pedalava na companhia do namorado pela via de acesso Sargento Luciano Arnaldo Covolan, que dá acesso da rodovia Marechal Rondon (SP-300) à entrada de Penápolis, quando o motorista de um carro bateu na traseira da bicicleta da mulher. Ele fugiu em seguida sem prestar socorro.

A vítima foi ao chão e sofreu diversas fraturas pelo corpo e teve traumatismo craniano. Uma equipe do Resgate, do Corpo de Bombeiros, fez os primeiros atendimentos e a encaminhou para o pronto-socorro da Santa Casa de Penápolis. Por conta da gravidade dos ferimentos, a ciclista teve que ser transferida para a Santa Casa de Araçatuba, onde permaneceu internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Policiais rodoviários isolaram a área do acidente e acionaram a Perícia, que esteve recolhendo provas para o inquérito policial. Nenhuma testemunha conseguiu visualizar a placa do veículo do autor. O caso foi registrado na delegacia da cidade e um inquérito será aberto para dar andamento às investigações.

A via em que o atropelamento ocorreu é frequentemente usada por ciclistas e pedestres  sempre à tarde e começo da noite, justamente para caminhadas e outros exercícios físicos. O trânsito no local não foi prejudicado por conta do acidente.

ENTREGOU-SE

Algumas horas depois do ocorrido, um representante comercial, de 39 anos, se apresentou na delegacia de Andradina, cerca de 162 quilômetros de Penápolis, alegando ser o autor do atropelamento. Ele contou em depoimento que conduzia o carro pela via quando percebeu a batida.

Sobre não ter parado, ele alegou que não imaginava tratar-se de uma pessoa e decidiu seguir viagem. Minutos depois, o homem teria recebido uma ligação e foi informado sobre o acontecimento. Ele autorizou a retirada de sangue para exame clínico de embriaguez. Depois de ouvido, a polícia liberou o indiciado, que responderá em liberdade.

você pode gostar também