Araçatuba recebe mais 16 médicos residentes

A primeira aula da turma 2018 da Residência Médica da Santa Casa de Araçatuba foi realizada na manhã desta quinta-feira no anfiteatro do hospital. São 16 médicos que em períodos que variam de 2 a 3 anos farão aperfeiçoamento profissional e cientifico progressivo visando o titulo de especialista que escolheram. Com o inicio da nova temporada, o Programa de Residência Médica (PRM) da Santa Casa de Araçatuba totaliza as 32 vagas previstas para a primeira etapa da capacitação. As vagas são preenchidas através de processo seletivo. Nesta turma, há predominância das mulheres. Dos 16 residentes, 13 são do sexo feminino.

Uma médica da Bahia que se formou em uma universidade daquele Estado se destaca numa turma com presença expressiva de médicos de Araçatuba e de cidades da região como, Andradina, Birigui, Buritama e Santópolis do Aguapeí. A maioria realizou a graduação em faculdades do interior paulista como, por exemplo, Franca, Fernandópolis, Marília e Presidente Prudente. Mas também, há médicos formados em tradicionais universidades federais, como por exemplo, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Universidade Federal do Mato Grosso.

O Programa de Residência Médica (PRM) da Santa Casa de Araçatuba oferece capacitação nas áreas de Clínica Médica, Ginecologia e Obstetrícia, Ortopedia e Traumatologia, Pediatria e Radiologia, novidade da grade 2018 e que atraiu 32 candidatos para as 2 vagas disponibilizadas.

A aula inaugural foi aberta pelo médico Rafael Saad, coordenador da Comissão de Residência Médica (Coreme), órgão da Santa Casa responsável pela coordenação do núcleo de ensino do hospital, que destacou como um dos diferenciais do curso é um conteúdo que varia de 80% a 90% de prática através de atendimentos aos pacientes das várias alas de tratamento do hospital. “É a experiência prática em um hospital regional que registra expressiva e diferenciada demanda que fará a diferença na trajetória que cada um de vocês vai cumprir ao final do período da Residência Médica”, explicou Saad.

A Residência Médica na Santa Casa de Araçatuba é uma modalidade de ensino de pós-graduação lato sensu, destinada a médicos, sob a forma de cursos de especialização. Os residentes recebem bolsa no valor de aproximadamente de R$ 3,3 mil do Ministério da Saúde. Caso todas não sejam disponibilizadas pelo órgão, serão subsidiadas pela Santa Casa. Os residentes trabalham em média 60 horas por semana na Santa Casa sob supervisão dos médicos preceptores.

Em discurso durante a aula inaugural da PRM, o médico Sérgio Smolentzov, diretor técnico da Santa Casa de Araçatuba, classificou a atuação dos médicos residentes como fundamental às ações de humanização realizadas no hospital. “São mais médicos envolvidos no atendimento e nas discussões sobre os casos dos pacientes”, definiu Smolentzov.

O provedor Carlos Joaquim Rodrigues, também destacou a importância da Residência Médica para o hospital. Empossado ontem na provedoria, Rodrigues disse que aperfeiçoar a interação do setor administrativo com a classe médica é uma das metas de sua gestão. “Por isso, diante de qualquer dificuldade, problemas ou sugestões, estaremos sempre de portas abertas para recebê-los”, afirmou o provedor.

 

DA REDAÇÃO – Araçatuba

você pode gostar também