Acupuntura traz resultados positivos para pacientes oncológicos

Reconhecida como especialidade médica desde 1995 pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), a acupuntura é um método terapêutico originado na China e que utiliza a inserção de agulhas em pontos estratégicos na superfície corporal, para melhorar a função dos órgãos, vísceras, glândulas, diminuir ou eliminar a dor.

A técnica é utilizada em pacientes com neoplasia (câncer), com o objetivo de minimizar os efeitos colaterais causados pelo tratamento (pós-operatório, quimioterapia e radioterapia). A eficácia é constatada em estudos publicados pelo INCA (Instituto Nacional de Câncer).

Há três meses, o Centro de Oncologia do Hospital Unimed Birigui adotou o método com pacientes em tratamento, e os resultados foram muito positivos. Para Leandro Rodrigues dos Santos, enfermeiro do Hospital e pós-graduado em Acupuntura, a técnica é um complemento eficaz para o tratamento. “É preciso dizer que a acupuntura não contribui na cura da doença, mas proporciona bem estar, uma vez que a quimioterapia provoca efeitos colaterais que podem debilitar o paciente”, explica Santos.

Benefícios

Para a paciente Elaine Chrisostomo Mendes, de 41 anos, que faz tratamento de um câncer de intestino desde dezembro de 2015, as sete sessões de acupuntura melhoraram a sua rotina. “Cheguei a um ponto que parei de cozinhar, pois não tinha mais paladar. Após a acupuntura, voltei aos poucos a sentir o gosto da comida. Hoje, já estou cozinhando novamente”, relata a paciente.

Elaine aponta outro benefício obtido com a acupuntura. Antes, a sensação de dormência e formigamentos nas mãos e pés eram frequentes, durante o tratamento quimioterápico. Além desses sintomas, ela também desenvolveu uma alergia de pele muito forte no rosto. “A acupuntura fez com que eu dispensasse o uso de pomadas para a alergia e a sensibilidade das mãos voltou. Não conseguia colocar brincos nas orelhas, hoje já coloco” finaliza.

A paciente Vilma Jesus de Oliveira Masson, de 70 anos, também relata benefícios, após realizar sessões de acupuntura. Há quatro anos, ela trata de um câncer nos ossos e no pulmão. ” Eu tinha muita dor no estômago, nas pernas, nos braços e cabeça, usava muitos remédios para controlar essas dores. Com a acupuntura não sinto mais dores e dispensei o uso dos remédios. Além disso, me sinto mais relaxada”, afirma Vilma.

Outro relato positivo é da paciente Dolores Salmeirão Brambila, de 74 anos. Ela iniciou o tratamento de um câncer de mama há seis meses. Nesse período, fez oito sessões de quimioterapia. “Tinha muita tremedeira e formigamento nas mãos e intestino preso, a acupuntura foi excelente para melhor esses sintomas, além de me sentir mais disposta”, diz Dolores.

A Acupuntura

A acupuntura é a estimulação de pontos e meridianos com base nos fundamentos da Filosofia Oriental, Yin Yang e Cinco Elementos. A estimulação no corpo humano pode ser realizada com diversos instrumentos, invasivos, como a agulha, ou não invasivos, como dedo, sementes, ímãs, magnetos, pastilhas de silício, música, laser ou cristais radiônicos.

Nos Estados Unidos, a acupuntura já é utilizada para tratar uma variedade de sintomas e condições associadas ao câncer, e também os efeitos colaterais do seu tratamento, como no Memorial Sloan-Kettering Cancer Center de Nova Iorque, M.D. Anderson Cancer Center de Houston, e o Dana-Farber Cancer Institute de Boston. Pesquisas americanas mostraram que entre 2% a 31% dos pacientes oncológicos nos EUA já foram submetidos a sessões de acupuntura.

A técnica também se mostra importante no tratamento de náuseas e vômitos muito comuns em pacientes sob tratamento por quimioterapia. Esses sintomas, que comumente ocorrem em pacientes submetidos à quimioterapia, e inevitavelmente, com o uso de certas classes de agentes farmacológicos, muitas vezes pode ser pior que a própria doença. Hoje, a acupuntura é rotineiramente administrada antes, depois, e entre as sessões de tratamento de quimioterapia para o controle de náuseas ou vômitos.

Da Redação – Birigui

você pode gostar também