Com rotina de estudos, jovens conquistam vaga de Medicina em faculdades públicas

O sonho de cursar medicina nas principais faculdades públicas do Brasil como USP, Unesp, Unicamp, Unifesp, Famema e Famerp agora é realidade para jovens de Araçatuba, que com disciplina e muito estudo, irão começar a faculdade nos próximos dias.

Quando iniciou o Ensino Médio, Tássia Eduarda Almeida Ferraz, hoje com 18 anos, assim como os demais jovens, estava escolhendo qual profissão deveria seguir. Pensou em engenharia, mas, conforme foi conhecendo as matérias, percebeu que a tendência era outra e escolheu medicina. Definido qual caminho seguir, era preciso traçar um plano de estudos. Ao final da 3ª série do Ensino Médio, Tássia conquistou o 4º lugar em Odontologia na UFU (Universidade Federal de Uberlândia), pelo SISU. Mas o sonho era outro. Então, em 2017 fez um pré-vestibular e traçou uma rotina disciplinada de estudos. Os resultados são melhores do que o esperado por ela: aprovada na USP (Ribeirão Preto/SP), Famema (Marília/SP), UFMT (Rondonópolis/MT), UFGD (Dourados/MS) e 1º lugar na Unifadra (Dracena/SP).

Tássia, que desde a 8ª série foi aluna da Escola Seb Tthathi, atribui as conquistas à rotina de estudos, aos professores e ao material utilizado. Até o momento, das cinco faculdades em que foi aprovada, quatro são públicas. A única particular que prestou, conquistou o 1º lugar. Ela ainda aguarda outras na lista de espera de outras faculdades. “Eu terminava a aula do pré-vestibular às 12h40. Almoçava na escola e, às 13h, estava na Sala de Estudos, onde eu ficava até às 20h. Frequentava os plantões, tirava as dúvidas com os professores, participava do laboratório de redação e produzia semanalmente três redações. Estudei através de um material bom, com exercícios atualizados, assim é possível ficar antenado com o que cai nos vestibulares. Os professores nos auxiliaram com o método de fazer a prova, como controlar o tempo. São coisas que contribuem muito para um bom resultado. ”

A8 Luis Eduardo Magalhães - Medicina USP Unifesp (4).JPG
Luis Eduardo Magalhães – Medicina USP Unifesp

 

O sonho de cursar medicina em uma faculdade pública também fez com que Luis Eduardo Magalhães, 19 anos, se dedicasse aos estudos. Agora, está aprovado em Medicina na USP (Bauru), Unesp (Botucatu) e Unifesp (São Paulo). Na USP, ele conquistou um grande feito ao ser aprovado pelo vestibular tradicional, pela Fuvest, e também pelo Sisu. “Fiz dois anos do curso pré-vestibular da escola Seb Thathi. Ele é muito completo, tanto em estrutura, quanto em material. Ele apresenta sala de aula grande e professores qualificados, além de uma sala de estudos que dá para passar bastante tempo estudando lá. ” Além da sala de estudo, Luís também frequentava os plantões. “Os plantões são o auxílio para os alunos fora da sala de aula, eles realmente ajudam para caso tenham uma dúvida em exercício ou alguma falta de entendimento da matéria em sala de aula. ”

A8 Róger Santos de Souza - Medicina - Unesp (9).JPG
Róger Santos de Souza – Medicina  Unesp

 

Aprovado em duas grandes universidades públicas, Unesp (Botucatu/SP) e Famerp (São José do Rio Preto/SP), Róger Santos Souza, 17 anos, cursava o Ensino Médio pela manhã e o curso pré-vestibular a noite. “Após o almoço eu descansava meia hora, estudava a matéria do cursinho até próximo do horário de ir para as aulas a noite. Escrevia uma redação e um simulado, de diferentes provas, por semana. Faltando um mês para as provas, comecei a fazer muitos exercícios do livro Enem. ” O vestibulando escolheu medicina pela afinidade com o conteúdo estudado no dia a dia. “Durante o ensino médio, eu comecei a buscar sobre as profissões, entrei em um curso técnico e estudava em casa, sem rumo. Daí eu descobri uma afinidade e fascínio pela Biologia. Assim, procurei profissões na área, cogitei várias. Porém, acabei escolhendo Medicina, porque, durante o curso técnico, descobri um gosto por ‘ colocar a mão na massa’ e pelo dinamismo. ”

A8 Gustavo Moreira Umehara (1).JPG
Gustavo Moreira Umehara – Medicina Unesp

 

Gustavo Moreira Umehara, 20 anos, foi aluno desde a educação Infantil da Escola Seb Thathi, e em 2015, ao concluir o Ensino Médio, foi aprovado em Engenharia da Computação na USP e na Unicamp, Ciência da Computação na USP e Engenharia Civil na USP. Começou a graduação em Engenharia da Computação na Unicamp, mas percebeu que a escolha da profissão poderia ser outra. Então, em 2017, voltou a estudar para os vestibulares e foi aprovado em Medicina na Unesp e na Unicamp. “Eu estudava de manhã e almoçava na própria escola. Por volta das 13h eu ia para a sala de estudos, porque lá é um ambiente legal, que eu gostava de estudar, bem silencioso. Ficava lá até umas 19h.”

A Escola Seb Thathi conta com dois cursos pré-vestibular, um matutino e um noturno. No período da tarde, os alunos têm plantões com professores de todas as disciplinas, laboratório de redação aulas de atualidades, interpretação de texto e inglês. Constantemente são aplicados simulados. Até o momento, são mais de 50 aprovações em Medicina nos vestibulares para início de 2018.

Da Redação – Araçatuba

você pode gostar também