De volta à cabeça de área, Fabrício não fala em sacrifício na lateral do Sport

O volante Fabrício começou 2018 novamente na lateral-direita do Sport. Só há duas partidas na temporada, voltou a atuar na posição de origem, como titular. Inclusive, marcou dois gols nesses jogos. Mas, perguntado, o jogador não fala que o improviso sacrificou o seu futebol.

Fabrício reconhece que a lateral exige mais dele. Por outro lado, avalia que esteve bem preparado quando precisou ser acionado na beirada do campo. “Acho que é uma posição que exige bastante da resistência e velocidade. Eu vinha me preparando bem. No comecinho, tinha me colocado de lateral e eu vinha me preparando bem. Então, eu sabia o que tinha que fazer ali. Entrei e dei o meu melhor para ajudar a equipe”

Além de sinalizar disposição para ajudar em ambas as posições, Fabrício comentou sobre o revezamento nas cobranças de faltas com Marlone. Diz que a prioridade dele são as bolas paradas em distâncias mais curtas.

“A gente vem sempre treinando aqui. A gente se fala muito. Quando está mais longe, a gente deixa para o Marlone, que bate mais forte. Falta mais perto, próximo da meia-lua, eu peço para bater. Se me deixar, eu vou bater”, afirmou.

Na segunda parte do ano passado, o prata da casa de 19 anos foi emprestado para o Oeste-SP, durante a disputa da última Série B. Como volante nesta temporada, Fabrício balançou as redes no 3 a 3 com o Ferroviário-CE, pela Copa do Brasil (o Sport foi eliminado por 4 a 3 nos pênaltis), e na vitória por 2 a 0 sobre o América, pelo Estadual. Ambas as partidas foram na Ilha do Retiro.

Da Redação

você pode gostar também