Unisalesiano inicia curso de Medicina com mais de 300 participantes

DA REDAÇÃO – ARAÇATUBA

 

 

O dia 19 de fevereiro de 2018 vai ficar marcado na história do Unisalesiano de Araçatuba. Depois de 12 anos, concretizou-se o sonho da instituição católica salesiana em poder oferecer um curso de Medicina aos acadêmicos de todo o país.
A solenidade de abertura do curso de Medicina, realizada no auditório Papa Francisco, foi marcada pela emoção de todos os envolvidos: reitoria, coordenadores, professores, pais, alunos e autoridades em geral.
A palavra sabedoria foi exaltada pelo pró-reitor de pastoral, padre Waldomiro Bronakowski, responsável pela acolhida dos 58 alunos matriculados até então (a terceira chamada foi aberta na tarde desta segunda-feira a fim de que se possa atingir o total das 65 vagas). “O sistema nervoso central comanda nosso corpo e Jesus Cristo comanda nossa vida cristã e nossa alma. Pedimos a benção e a proteção de Deus e o dom da sabedoria aos educadores e educandos”, disse ele.
Por sua vez, o reitor do Unisalesian, padre Luigi Favero, ressaltou que tudo foi sonhado para a juventude e chamou todos os acadêmicos para se apresentarem ao público. “O curso compõe um grande mosaico de jovens vindos de todas as partes do Brasil. A maioria é do Estado de São Paulo e eu imagino a satisfação de vocês, pais, ao verem seus filhos hoje num curso de Medicina”, comemorou.
Padre Luigi mostrou aos mais de 300 participantes da solenidade o caminho percorrido pelo Unisalesiano até conquistar a chance de abrigar a Medicina pelo programa do governo federal, Mais Médicos. “Foi um trabalho enorme desde que o MEC lançou a oportunidade e a Comissão presidida pelo pró-reitor acadêmico, André Ornellas, trabalhou muito bem”, disse o reitor, ao lembrar que, durante a visita dos avaliadores do MEC, no ano passado, foi dito que o curso de Medicina do Unisalesiano servirá de exemplo para todo o país.
“Dentre todas as 2.500 instituições universitárias do Brasil, estamos entre as 400 melhores. Somos o melhor centro universitário do Estado de São Paulo. Investimos nos estudos com uma formação acadêmica e humana.”
Já o presidente da Câmara de Araçatuba, Rivael Papinha (PSB), destacou o momento diferente por qual vive a cidade, o que faz engrandecer não só o ensino, mas outras áreas, como a econômica e social. “Esse sonho vem de anos e a gente fica feliz por fazer parte dele”, comentou.
Em seguida, a vice-prefeita de Araçatuba, Edna Flor (PPS), que representou o prefeito Dilador Borges (PSDB), falou da importância da parceria entre governo e universidade e que a saúde pública poderá sentir logo os efeitos do curso de Medicina. “Que esse dia possa ser lembrado na nossa história”, frisou. Além das autoridades que compuseram a mesa, participaram do evento os secretários municipais e vereadores Beatriz Nogueira (Rede) e Carlinhos Santana (Solidariedade).

MÉDICO SALESIANO
O coordenador do curso de Medicina, doutor Antônio Henrique Poletto, fez a apresentação do método ativo que será ensinado e da estrutura física, composta de equipamentos de última geração. “Nosso objetivo é que o Médico Salesiano, cuja primeira turma se formará em 2023, seja honesto, ético, competente, humanista, comprometido e que tenha uma visão geral da Medicina”, disse Poletto, emocionado.
Alguns docentes também explicaram sobre os conteúdos da graduação e temas como Tutoria (médico Henrique Sabino), Laboratórios de Habilidade (médico José Cândido) e IESC (Interação Ensino em Saúde na Comunidade) – pelo doutor Ângelo Jacomossi. Ao final, o coordenador apresentou um vídeo sobre a importância da profissão, que foi seguido das palavras do representante do Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) em Araçatuba, Marco Túlio França.
A pergunta feita por ele aos novos alunos foi: “O que é ser um bom médico?”, tendo como resposta: é aquele que ajuda mais. “Agir dentro da ética. Jesus Cristo, em toda a sua obra, criou a base da ética com os princípios da igualdade e da reciprocidade. Basta isso, atender como gostariam de ser atendidos”, definiu, ao citar que tem a plena certeza que os acadêmicos formados no Unisalesiano serão preparados para exercer a medicina de maneira sublime.
A funcionária pública Cláudia Regina Gonçalves Martins, de 42 anos, veio de São Paulo para acompanhar o primeiro dia de aula da filha Gabrielle, de apenas 17 anos. “Primeiro vestibular e ela passou. Hoje acontece uma mistura de emoções aqui, de alegria com a saudade de deixar ela em Araçatuba. Mas sei que irá realizar seu sonho”, disse Cláudia, com lágrimas nos olhos. Gabrielle comemorou o fato de entrar tão nova para uma universidade. “Estou muito feliz.”
Por fim, os participantes puderam conhecer os laboratórios ontem serão realizadas as aulas baseadas nas metodologias ativas.

você pode gostar também