Justiça decreta prisão de suspeitos de balear policiais

A Justiça de Araçatuba decretou a prisão temporária de quatro suspeitos de um assalto na casa de um casal de policiais militares ocorrido na noite de terça-feira (06) no bairro Jardim Monte Carlo.
A decisão foi proferida pelo juiz de direito da 3ª Vara Criminal e Corregedor da Polícia Judiciária Emerson Sumariva Junior. Quatro homens, de idades entre 18, 24, 28 e 31 anos tiveram a prisão temporária decretada e é válida por 30 dias.
Um quinto mandado de prisão preventiva, que é aquela que será por tempo indeterminado, também foi expedido pelo juiz contra outro rapaz de 18 anos, apontado nas investigações como autor dos disparos que teriam atingido as vítimas durante a tentativa de assalto. Ele continua foragido.
Um adolescente, de 17 anos, chegou a ser conduzido à Central de Flagrantes na tarde de quarta-feira (07), mas foi liberado após ser ouvido pelo delegado da DIG (Delegacia de Investigações Gerais). A arma usada no crime continua desaparecida. Os quatro presos foram encaminhados à cadeia pública de Penápolis, onde devem aguardar vagas nas penitenciárias da região.
TENTATIVA DE ASSALTO
De acordo com o boletim de ocorrência, o crime ocorreu no bairro Jardim Monte Carlo por volta das 22h50 da última terça-feira (06). Segundo o registro, a cabo da PM, de 44 anos e o marido dela, um subtenente aposentado, 50, tinham acabado de colocar o filho de 11 anos para dormir no quarto quando foram surpreendidos por dois criminosos armados com revólveres no corredor da residência.

Os bandidos a todo o momento pediam por dinheiro, já que tinham informações que o casal guardava a quantia dentro do local. A policial militar alegou não ter nenhuma quantia, mas disse aos assaltantes que eles poderiam levar o que quisessem.

Enquanto um dos suspeitos ficava com uma arma apontada para a cabeça das vítimas, o outro seguiu vasculhando vários cômodos. O ladrão pediu à PM a chave do carro, mas ela disse não saber onde estava e se ofereceu para procurar. Nesse momento, a mulher foi atingida por uma coronhada na cabeça.

O segundo bandido voltou minutos depois dizendo ao comparsa que o casal era policial, já que havia encontrado uma farda dentro do guarda-roupa. O autor foi até a policial e efetuou três disparos contra a cabeça dela, mas os tiros falharam. Logo em seguida, as vítimas entraram em luta corporal com os bandidos. O subtenente foi atingido por dois disparos na região da cabeça. Uma bala ficou alojada no céu da boca e outra abaixo da orelha direita.

BOLETIM MÉDICO
O último boletim médico divulgado pela Santa Casa informou que o estado de saúde do subtenente é estável. Ele passaria por uma cirurgia na manhã de quinta-feira (08) para retirar uma das balas alojada na boca. A outra, que está próxima à coluna cervical, não poderia ser retirada. Já a esposa do PM também continua internada em estado estável em um hospital particular e não há previsão de alta.

você pode gostar também