Casa funcionava como depósito do crime em bairro residencial de Araçatuba

A Polícia Militar de Araçatuba desencadeou na noite de segunda-feira (05) uma operação para prender integrantes de uma quadrilha suspeita de praticar diversos furtos na região. Existe a suspeita de pelo menos sete bandidos agindo em conjunto.

De acordo com o que foi apurado pela reportagem, foram expedidos cinco mandados de buscas e apreensões em vários endereços da cidade. Dois deles foram cumpridos com êxito.

O primeiro cumprimento ocorreu no fim da tarde em um condomínio de apartamentos localizado na rua Panorama, no bairro Panorama. Na ocasião, a PM tinha informações de um homem conhecido como ‘Sansão’ que integrava a quadrilha. Quando as equipes chegaram ao local encontraram apenas o pai do suspeito.

Ele tomou conhecimento da decisão judicial e acompanhou as buscas. Os policiais encontraram a quantia de R$ 11 mil em notas de 50 e 100 escondida dentro de uma caixa de sapatos no guarda-roupa do investigado. Segundo o boletim de ocorrência, o pai dele entrou em contradição a respeito da procedência do valor, por isso o dinheiro foi apreendido para investigação.

‘DEPÓSITO’ DO CRIME

Aproximadamente 30 minutos depois da primeira ocorrência, a Polícia Militar chegou até ao segundo endereço, localizado na rua Mato Grosso, no bairro Jardim Sumaré, apontado nas investigações como ‘depósito do crime’, já que os suspeitos guardavam diversos objetos produtos de furtos, além de dinheiro. Apesar do lugar funcionar como depósito, ele era bastante freqüentado pelos integrantes, inclusive o proprietário tinha o hábito de dormir por lá.

Chegando ao endereço, os PMs perceberam que não havia ninguém, por isso foi necessário o arrombamento do portão. Dentro do imóvel, foram encontradas diversas munições de calibres 45, 38, 32, 26 e 22, um revólver, diversas jóias, anéis, pulseiras e correntes, televisões, dezenas de relógios de pulso, máquinas fotográficas, filmadoras, notebooks, armas de airsoft (usadas para simulações de tiros), centenas de peças de roupas com etiquetas, caixas de remédios de vários laboratórios, maçarico, pés de cabra, R$ 17.497,00 em dinheiro, cofres, perfumes e garrafas de bebidas alcoólicas. Segundo as análises, todos os objetos seriam do crime.

Diante das evidências, os policiais conversaram com vizinhos do morador da casa, identificado como Paulo Madeira, de 35 anos. As testemunhas, que não quiseram se identificar, informaram que o homem tinha o hábito freqüente de visitar a casa do tio, localizada na rua Antonio Lucindo Filho, no bairro Hilda Mandarino.

As viaturas deslocaram-se até a residência e flagraram o indiciado e o tio, um aposentado de 49 anos, saindo do imóvel em um veículo VW/Parati. Em um primeiro momento, na revista pessoal, nada de ilícito foi encontrado. Porém, dentro da casa do familiar de Paulo, os policiais localizaram mais duas espingardas de pressão, 11 munições de calibres 22 e 38, dois silenciadores e um rádio HT na freqüência da concessionária que administra a rodovia Marechal Rondon.

A dupla recebeu voz de prisão e foi levada até a Central de Flagrantes. Lá, o delegado plantonista decidiu estipular fiança de mil reais ao tio de Paulo, já que ele não encontrou provas suficientes para prendê-lo por participações nos furtos. Já o sobrinho dele permaneceu preso à disposição da Justiça.

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar a atuação da quadrilha na cidade e quer identificar os donos de todos os objetos localizados nos imóveis.

APURAÇÃO

Segundo o que foi apurado pela reportagem, as análises do setor de inteligência da Polícia Militar começaram há cerca de dois meses, após uma onda de furtos em residências e estabelecimentos comerciais de Araçatuba e região.

No curso dos trabalhos, a polícia descobriu que o grupo, formado por sete pessoas, tinha o mesmo modo de agir, sempre nas madrugadas, mediante arrombamento de portas e não escondiam as faces. Imagens de câmeras de seguranças dos locais alvos das ações do bando chegaram a flagrar alguns  crimes. Também existe a suspeita de que os ladrões participaram de assaltos.

Mesmo sendo monitorados, os bandidos continuaram agindo. O último furto praticado pelos suspeitos ocorreu na madrugada de segunda-feira (05) em uma farmácia localizada na rua Luis Pereira Barreto, área central. Na ocasião, os criminosos levaram diversos produtos e R$ 80 mil em dinheiro do cofre.

As investigações seguem em andamento, já que parte da quadrilha continua foragida. No dia 06 de janeiro deste ano, há exatamente um mês, a PM já havia detido Paulo em outra ocorrência de averiguação de furto. À época, ele e dois rapazes, de 28 anos, foram detidos por policiais da Força Tática suspeitos de furtar várias casas durante o fim do ano em Araçatuba.

Os PMs tinham informações de que os bandidos usavam dois veículos durante as ações. As equipes viram um dos veículos seguindo por uma avenida do bairro Jardim TV e decidiram abordá-los. No carro estavam os três suspeitos. Os policiais foram até a casa deles e encontraram diversos objetos que haviam sido furtados, entre roupas, perfumes, além de um carro com placas e o chassi adulterados.

Apesar do reconhecimento das vítimas dos produtos levados, o trio acabou sendo liberado pelo delegado por causa da prisão não ter ocorrido em flagrante.

você pode gostar também