Polícia investiga morte de professor após corte profundo no pé

A DIG (Delegacia de Investigações Gerais) da Polícia Civil de Araçatuba abriu inquérito para investigar a morte do professor Célio Ricardo Almeida Barbosa, de 40 anos.

O homem trabalhava na rede municipal de ensino e morreu na noite de sábado (03) depois de dar entrada no pronto-socorro da Santa Casa com um corte profundo na altura do calcanhar.

Segundo o que foi apurado pela reportagem do O Liberal, Barbosa estava na rua quando chegou em casa de moto. A esposa do professor contou em depoimento que logo ao chegar à residência, ele foi para o quintal, onde minutos depois já foi encontrado por ela passando mal e com o corte.

Ela chamou ajuda do irmão do paciente e logo depois, vendo a gravidade da situação, os dois decidiram chamar uma ambulância do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Barbosa morreu aproximadamente duas horas depois de dar entrada no hospital após sofrer três paradas cardíacas.

INVESTIGAÇÃO

A Polícia Civil registrou o caso como morte suspeita. O corpo passou por exame necroscópico no IML (Instituto Médico Legal). O médico legista não constatou nenhum tipo de lesão na região da cabeça, tórax e abdômen do professor. Ainda segundo o laudo preliminar, o corte no pé só seria capaz de causar morte por esgotamento de sangue depois de mais de três horas sem atendimento médico.

Os investigadores acreditam na possibilidade remota de algum crime e trabalham com a hipótese até mesmo de morte natural, já que o homem tinha um histórico de problemas de saúde, como pressão alta. O laudo definitivo deve sair em até 30 dias.

Ainda pelo que foi apurado pela reportagem, o inquérito só foi instaurado pois o objeto que teria causado o corte no paciente não foi localizado dentro do imóvel. Os policiais querem saber se o professor se feriu antes de chegar em casa ou logo depois.

O corpo de Barbosa foi enterrado por volta das 16h30 de domingo (04), no cemitério municipal da Saudade, também em Araçatuba.

você pode gostar também