Secretário explica sobre apreensão da ambulância do Samu

Após uma viatura do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) de Três Lagoas (MS) ser apreendida pela Polícia Militar e guinchada até o pátio do Departamento de Trânsito de Mato Grosso do Sul (Detran-MS) por apresentar irregularidades na documentação, a prefeitura municipal tomou medidas sérias para sanar os problemas enfrentados pela frota, que atualmente recebem multas diárias por infrações no trânsito. A maioria dessas infrações é por excesso de velocidade, avanço no sinal vermelho e ultrapassagens indevidas.

A apreensão do veículo aconteceu na segunda-feira (29), enquanto a ambulância era usada no atendimento a uma vitima de acidente de trânsito. O veículo foi apreendido após bater em um carro. De acordo com o motorista do Samu o carro não abriu passagem, mesmo com o sinal de alerta acionado. O acidente foi de proporções leves e danificou apenas a lataria da ambulância. A vítima teve que ser socorrida por outra viatura do Samu.

De acordo com o secretário municipal de administração, Gilmar Araújo Tabone, atualmente o município tem de cinco viaturas do Samu e apenas uma delas encontra-se em situação irregular. Porém, nas últimas administrações algumas multas estavam acumuladas somando R$ 73 mil, que foram pagas em 2017. “Cerca de 50% dos veículos da prefeitura não tinham documentação regular. Nós entramos com um recurso nos órgãos responsáveis e essas multas foram suspensas, porém, só no ano passado o Samu teve cerca de 410 multa. Então, quando a gente entra com recurso, suspende as multas que estão em nossas mãos só que a hora que emitimos a guia para pagar chega ao Detran já tem multas pendentes de novo e isso vira uma novela”, destaca.

Tabone reforça que o departamento jurídico da prefeitura vem conversando com o Detran para que os veículos do Samu tenham a suspensão dessas multas para que os veículos mantenham-se licenciados. “Nesses recursos, nós temos o cuidado de verificar se essas multas foram aplicadas quando os veículos estavam em atendimento e aquelas multas em que a gente consegue perceber que é de responsabilidade do servidor quando estava fora do horário de atendimento e não tinha emergência, essa multa é de responsabilidade do servidor e é descontado do mesmo”, esclarece.

Prioridade de passagem
Dar passagem para uma ambulância é uma questão de civilidade. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, as ambulâncias possuem prerrogativas excepcionais de trânsito, assim como carros do Corpo de Bombeiros e da polícia que têm prioridade de passagem. A obrigação dos motoristas é permitir a passagem livre, conforme determina o Art. 189 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Se o condutor se nega a abrir caminho a esses veículos comete infração gravíssima, multa de R$ 191,54 e sete pontos na carteira. Apesar disso, muita gente ainda não respeita a preferência para os veículos de socorro.

Segundo o secretário municipal de administração, Gilmar Tabone, isso é recorrente nas ruas de Três Lagoas. O problema piora nos horários de pico, quando há maior fluxo de veículos nas vias. Ele pede a todos os motoristas que quando ouvirem a sirene de alerta do SAMU que deem espaço para a ambulância poder passar. “A gente sabe que a ambulância principalmente a do SAMU que trabalha com urgência e emergência realmente precisa ter prioridade. Quando as pessoas estiverem na rua se puderem nos apoiar, abra caminho, encoste porque a viatura sempre vai estar com a sirene e todas as luzes de alerta ligados, pois significa que ela está em atendimento. Com essa recomendação de que as pessoas deixem o caminho aberto facilita o trabalho dos nossos condutores que são altamente capacitados, mas que em alguns casos acabam fazendo um ato imprudente porque algum veículo fica parado e com isso nós não correríamos risco de possível colisão”, enaltece.

Mariane Martins

você pode gostar também