Prefeitura inicia cogestão no Pronto Socorro

Foi nesta segunda-feira (8), a cogestão do Pronto Socorro Municipal. A partir de agora, a unidade terá uma gestão compartilhada entre a Prefeitura de Penápolis e a organização social Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Birigui. O objetivo desta mudança é melhorar a qualidade do atendimento oferecido à população.

A Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Birigui foi a organização social classificada em chamamento público para gerenciar, operacionalizar e executar as ações e serviços de saúde, em regime de 24 horas no Pronto Socorro de Penápolis.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Wilson Carlos Braz, o objetivo primordial da cogestão é proporcionar um atendimento com mais qualidade, eficiência e eficácia aos pacientes. “A meta principal é melhorar a qualidade do serviço ofertado ao usuário SUS com uma assistência humanizada”, afirmou.

Na última sexta-feira (05), os novos funcionários contratados pela Irmandade para trabalhar no Pronto Socorro se reuniram com o prefeito Célio de Oliveira, o secretário de Saúde e vereadores na Câmara Municipal.

Na ocasião, o prefeito solicitou aos funcionários que tenham dedicação e comprometimento com o Pronto Socorro. “A partir de agora, pedimos que todos tenham comprometimento com o trabalho, com o respeito e o bom atendimento aos pacientes”, disse o prefeito.

“Nós destacamos que o Pronto Socorro funcionava muito bem, com o mínimo de reclamações. Os servidores que atuavam na unidade, se dedicavam ao máximo. Porém a equipe era reduzida e insuficiente para melhorar o atendimento. Por conta da limitação com os gastos com pessoal, a Prefeitura não consegue contratar novos servidores. Este problema será solucionado com a cogestão”, afirmou Célio.

Equipe

Na manhã desta segunda-feira, os funcionários já deram início aos trabalhos na unidade. Segundo o secretário, nos primeiros dias da cogestão haverá uma fase de transição.

“Alguns servidores municipais permaneceram no Pronto Socorro para repassar as informações e toda a rotina de atividades para os novos funcionários. Ao todo, a Irmandade contratou cerca de 80 profissionais que atuarão no PS, além de outros 30 servidores municipais que permanecem trabalhando no local”, explicou.

“Tínhamos uma falta de funcionários atuando no PS e a impossibilidade de novas contratações. A demanda de atendimento da unidade é muito grande, pois somos referência para sete municípios da comarca. A partir da implantação da cogestão, houve um dimensionamento adequado das equipes”, acrescentou.

Os demais servidores foram transferidos para as unidades básicas de saúde, reforçando a equipe que atua na rede primária. “Estes servidores atuarão nas UBS e Macros, incrementando a equipe de saúde para atendimento dos moradores”, contou o secretário.

Avaliação

Os serviços prestados pela organização social serão constantemente avaliados pela Secretaria Municipal de Saúde. “Foram estabelecidas metas que devem ser cumpridas pela nova gestão. O descumprimento pode gerar penalizações financeiras e, em último caso, a interrupção do contrato”, enfatizou Braz.

“Caso haja problemas no atendimento, insatisfação dos usuários, a Secretaria será responsável por notificar a OS para que regularize a situação e ofereça um atendimento de qualidade aos pacientes”.

“A partir de agora, esperamos que o atendimento seja realizado da melhor forma, com agilidade, respeito e humanização. O nosso objetivo principal é melhorar o serviço de saúde, desde o atendimento nas unidades básicas de saúde como no Pronto Socorro”, finalizou o secretário de Saúde.

DA REDAÇÃO – Penápolis

você pode gostar também