Projeto de prolongamento da Pompeu está em fase de conclusão

O secretário municipal de Planejamento Urbano e Habitação, Ernesto Tadeu Consoni, confirmou ontem que a equipe técnica da pasta está concluindo o projeto de prolongamento da Avenida Joaquim Pompeu de Toledo no trecho entre a Rua Tupinambás e a Rodovia Marechal Rondon. A Avenida margeia o Córrego Machadinho. Todos os órgãos envolvidos estão correspondendo satisfatoriamente. Após a fase de licenciamento, ficará pendente apenas a fonte financiadora. A conclusão da Pompeu é uma obra emblemática do prefeito Dilador Borges, que quer concluída ainda este ano.

Segundo Tadeu Consoni, são poucas áreas que deverão ser declaradas de utilidade pública para desapropriação. Ele acredita que todo o processo será conduzido de forma amigável, pois são áreas pequenas. “Temos terrenos com faixas de apenas 50 centímetros”, disse ele.

Outro detalhe interessante do projeto é que não deverá ter passeio público na parte interna (ao lado do córrego). Isso para ampliar ao máximo a vazão e evitar risco de transbordamento.

Quanto à canalização do Córrego Machadinho, tudo caminha para adotar-se o sistema de gabião (laterais) e colchão reno (fundo). Trata-se de um sistema muito usado neste tipo de cobra e com custo mais baixo.

COMPLEXIDADE
No trecho entre a Tupinambás e a rotatória da Avenida Saudade (Fórum da Justiça Federal), o Córrego Machadinho está canalizado e coberto. Isso é um agravante. Segundo Tadeu Consoni, o Departamento de Água e Energia Elétrica (DAEE) recomendou ampliar a vazão. “Atualmente temos duas linhas de galerias de 2,5 metros por 2,5 metros. Estudos revelaram que será necessário construir mais uma linha auxiliar nas mesmas dimensões”, disse Tadeu Consoni.

Da Redação

você pode gostar também