Policial militar é agredida e sofre traumatismo craniano

Uma policial militar de 43 anos ficou ferida depois de ser agredida com golpe de capacete durante atendimento de uma ocorrência, em Araçatuba.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, a PM fazia patrulhamento com o companheiro de farda pelo Jardim Moreira quando os dois avistaram uma dupla em uma moto no cruzamento das ruas José Guerra com a Rotary Clube.

O condutor da motocicleta fazia manobras arriscadas na via e pilotava o veículo em forma de zigue-zague. Os policiais deram ordem de parada e o homem chegou a estacionar a moto, mas recusou-se a ser abordado. Já o garupa ficou parado, obedecendo as ordens da equipe.

Os PMs começaram a fazer uma negociação para que o pedreiro se rendesse. A partir disso ele ficou bastante agressivo e investiu contra os policiais. O passageiro, que é irmão dele, aproveitou a situação e também entrou em luta corporal.

Durante a ação, o pedreiro golpeou a soldado na cabeça com o capacete que estava segurando. Logo em seguida, ele foi rendido e algemado com a chegada de mais reforço policial. Apesar disso, o irmão dele conseguiu fugir e até o fechamento desta edição não havia sido encontrado.

O pedreiro passou pelo teste de bafômetro e o resultado foi positivo para embriaguez. Ele foi encaminhado até a delegacia, onde permaneceu preso por tentativa de homicídio e embriaguez ao volante. A PM descobriu ainda que o indiciado não era habilitado e estava com o licenciamento da moto vencido.

A policial militar começou a passar mal durante a ocorrência, devido à gravidade dos ferimentos, e teve que ser socorrida em uma viatura até ao pronto-socorro da Santa Casa. Lá, os médicos constataram traumatismo craniano e uma fratura na região da cabeça. A vítima ficou internada durante algumas horas, recebeu a medicação necessária e teve alta. Um inquérito foi aberto para investigar o caso.

Vitor Moretti

você pode gostar também