Universitários estudam a taxidermia como instrumento de ensino e pesquisa

DA REDAÇÃO LINS

A taxidermia é uma técnica de preservação da forma da pele, plano e tamanho dos animais, muito utilizada para a criação de coleção científica ou para fins de exposição, educação (aulas práticas de anatomia e fisiologia animal) e pesquisa. Trata-se de técnica que reconstitui as características físicas reais e as vezes simulando o habitat do animal, o mais fielmente possível, e requer ainda domínio de diversas áreas como biologia, química, anatomia, ecologia, artes plásticas e claro, da anatomia e fisiologia animal. Alunos do 8o semestre do curso de Engenharia Agronômica do Unisalesiano de Lins, Rafael Maio Nogueira Tavares e Júlio Cezar Simião Menardi estão executando e desenvolvendo a técnica de taxidermia sob orientação da professora mestranda Fernanda Paes de Oliveira.

“A técnica de taxidermia é conhecida por muitos como “empalhamento”, tem como objetivos, a preservação da biodiversidade, conservando a forma natural do animal. Tal caraterística requer pesquisa quanto ao habitat da espécie trabalhada e modo de vida. Atende a diferentes tipos de público produzindo peças para donos de animais domésticos, criadouros de animais comerciais, museus de história natural, zoológicos, universidades, instituições de pesquisa e entidades governamentais”, diz a professora, zootecnista e veterinária, Fernanda Paes de Oliveira

Para o biólogo taxidermista Gláucio Kaminski, esse trabalho tem uma importante vertente na área pedagógica, destaca que através desse trabalho é possível deixar um legado para as próximas gerações. No futuro, com alguns animais extintos, será possível que profissionais da área ambiental possam ter a oportunidade de estudar e falar a respeito destes animais que um dia existiram.

você pode gostar também