Empresário doa área de 6 hectares para a instalação do Porto Seco

O prefeito de Três Lagoas, Angelo Guerreiro, recebeu em seu gabinete o presidente da Fiems Sérgio Longen, o secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, o presidente da Câmara, André Bitencourt, secretários municipais, vereadores e demais autoridades representando o Governo do Estado e Fiems, para viabilizar a doação de uma área de seis hectares para a instalação de uma EADI (Estação Aduaneira Interior), conhecida como Porto Seco.

Representando o Hub Intermodal de Três Lagoas, Mellão compareceu à reunião para firmar seu compromisso. “Enxergamos o Porto Seco como um grande potencial para a cidade de Três Lagoas. Estamos dispostos a trabalhar com todos para a viabilização deste projeto”, explicou o empresário.

O empresário doando a área para a prefeitura, os vereadores aprovarão a doação para, então, passar a área à Receita Federal, que ficará responsável pelos editais públicos de operação e licitações.

Processo
Durante os últimos meses, várias reuniões foram feitas para resolver o impasse de instalação do Porto Seco no estado. Com a escolha da Receita Federal por Três Lagoas ao invés de Campo Grande, a corrida contra o tempo foi encontrar uma área que atendesse os requisitos legais para a instalação do Porto Seco, tendo a logística como prioridade: rodovia, hidrovia e ferrovia.

Governo do Estado e Município se uniram para encontrar um proprietário que fizesse a doção da área. Segundo o Presidente da Fiems, Sérgio Longen, a empresa atenderá a demanda empresarial de Três Lagoas, sendo uma nova região de desenvolvimento.
“É uma porta fundamental para nós, empresários. Muitas importações têm tido o ICMS recolhido para São Paulo, e agora, com o porto em Três Lagoas, o mesmo passará a ser recolhido pelo estado, ajudando vários municípios”, explicou o presidente.

Jaime Verruck aproveitou a oportunidade para lembrar aos presentes a facilidade que será para os empresários do estado ter um Porto Seco em Três Lagoas, já que em MS existe somente uma estrutura em Corumbá, na divisa com Bolívia e Brasil.

“Qualquer importação ou exportação que fazemos é desembaraçada no Porto Seco de Bauru, em São Paulo, Cambé, no Paraná ou Santos. Quando tivermos um Porto Seco em Três Lagoas, todo o processo será feito por aqui e entendemos que ele sendo instalado em Três Lagoas será importante para o Desenvolvimento do Mato Grosso do Sul”, pontuou o secretário.

Para o prefeito, Angelo Guerreiro, a instalação de um Porto Seco em Três Lagoas será um marco não só para a cidade, mas para o estado, sendo uma oportunidade para governo, Fiems e câmara deixar um legado para as próximas gerações.

“Este é um investimento importante não somente para Três Lagoas, mas para a nossa Costa Leste. A arrecadação que o município vai ter, a quantidade de empregos que serão gerados e o desenvolvimento que será promovido será algo grandioso. Quando falamos de um Porto Seco na cidade falamos do desembaraço, agilidade e desburocratização que hoje primamos tanto no setor público”, afirmou.

Da Redação

você pode gostar também