Prefeitura apura fraudes e sabotagem na Secretaria da Saúde

A Corregedoria-Geral do Município de Araçatuba está com dez procedimentos em tramitação. São seis sindicâncias e quatro processos disciplinares. Segundo o corregedor-geral, Jaime Gardenal Júnior, todas as denúncias que chegaram estão sendo apuradas. Muitos problemas foram registrados na Secretaria da Saúde, como açúcar no motor de ambulâncias, retirada de rastreadores e fraudes em viagens. Ontem foi registrada mais uma irregularidade: o motor de uma van foi trocado. Há casos que são apurados pela Polícia Civil. A punição na esfera administrativa vai de advertência à demissão.

Gardenal explicou que foram instaurados quatro processos administrativos e disciplinares. Um refere-se a três motoristas que se recusaram a viajar para buscar pacientes. Houve o desrespeito a uma ordem superior. Os três receberam como punição de advertência. Três estão em andamento e referem-se à retirada de rastreadores de ambulâncias. Os três casos aconteceram na segunda quinzena de maio, logo após a instauração de sindicâncias para apurar viagens inexistentes. A empresa responsável pelo rastreamento registrou boletim de ocorrência. Dois rastreadores foram retirados e deixados dentro dos respectivos e outro desapareceu. Os motoristas são responsáveis pelos veículos.

A sindicância 03/2017, apurou danos a três ambulâncias. Foi constatada a presença de açúcar no motor. Duas foram recuperadas com investimentos de R$ 10.466,48. Já a terceira ambulância, que apresentava o mesmo problema, capotou em viagem e deu perda total. “Com a sindicância não foi possível encontrarmos os autores”, disse Jaime Gardenal, explicando que o caso está sendo investigado pela polícia. O caso pode ter sido sabotagem ou mesmo vandalismo, pois mesmo ficando em local fechado, é possível acesso.

De acordo com o corregedor-geral, chegou à chefia a denúncia de que viagens registradas não foram efetivadas. Assim, a pessoa ganhou a diária e abastecimento. O assunto está apurado na sindicância 23/2017. “Preliminarmente apuramos divergências em 32 viagens no mês de janeiro de 2017”, disse Gardenal, explicando que as ambulâncias são dotadas de “Sem Parar”. No levantamento apurou-se que não passaram pelas praças de pedágio nas viagens para São Paulo, Campinas, Bauru e Sorocaba. Além disso, vários veículos têm rastreador e o equipamento indicou que na data da suposta viagem, estavam em Araçatuba. Por isso, sabem que estes veículos não fizeram a viagem às cidades com pagamento de pedágio e a São José do Rio Preto. No encerramento da sindicância e constatando irregularidades, o relatório será encaminhado ao Ministério Público para as ações, pois há crimes. “Além de diárias e abastecimento, há pagamento de horas extras”, explica Gardenal, citando o prejuízo aos cofres públicos.

A sindicância 24/2017 apura denúncias de irregularidades em viagens nos meses de outubro e novembro do ano passado. “Só no mês de outubro constatamos 37 viagens com irregularidades”, acrescentou o corregedor, que espera concluir as investigações nos próximos dias. As irregularidades são as mesmas, com o veículo não passando pelos pedágios e o rastreador indicando que o veículo não saiu de Araçatuba.

Segundo o corregedor, é preciso verificar o que realmente aconteceu. Ele disse que há viagens em que o motorista teria recebido diária para a viagem, mas há espelho de ponto (biométrico) apontando que estava em Araçatuba. É preciso saber se foi esta pessoa que cometeu a irregularidade ou se havia um esquema para fraudar as viagens, usando apenas os nomes dos motoristas.

Com a identificar dos responsáveis, podem ser punidos criminalmente por vários crimes e até mesmo formação de quadrilha.

TROCA DE MOTOR

Ontem foi registrado boletim de ocorrência por troca de motor. Uma van Boxer (Peugeot), ano 2013, parada desde dezembro, foi levada a uma oficina credenciada para reparos. Porém, foi constatada que o motor não é original. “Agora vai ser feito o levantamento para saber a origem do motor”, disse o corregedor.

Jaime Gardenal Júnior disse que não há “caça às bruxas”. “Estamos trabalhando com transparência de acordo com denúncias feitas. Acho que são os próprios servidores, cuja maioria é de pessoas sérias, que fazem as denúncias”, concluiu Gardenal.

ANTÔNIO CRISPIM – Araçatuba

você pode gostar também