Santa Casa adere ao Protocolo de Manchester para atendimentos de Urgência e emergência

Referência do SUS (Sistema Único de Saúde) em Urgência e Emergência para 40 municípios da região, a Santa Casa de Araçatuba dará prioridade à queixa principal dos pacientes e não mais aos sinais e sintomas para assim poder classificar o tempo em que a pessoa poderá esperar pelo atendimento médico.

Esse novo protocolo que está sendo implantado pela instituição faz parte da classificação de risco pelo Protocolo Internacional de Manchester, utilizado mundialmente. O documento possui 69 fluxogramas que serão seguidos pelo classificador do atendimento, que é sempre um enfermeiro. “Um exemplo. O paciente dá entrada ao hospital e reclama de mal-estar para o classificador. Então o enfermeiro vai ver no fluxograma qual o tempo de espera para esse tipo de queixa”, explicou a enfermeira Fernanda Contardi, Gestora de Serviços Médicos.

APRESENTAÇÃO

O novo sistema de classificação foi apresentado ontem pela direção da Santa Casa a prefeitos, secretários municipais de saúde e profissionais da área. A apresentação foi no auditório da Santa Casa.

O advogado Clemente Cavazzana, representando a direção, fez um depoimento duro e que ele mesmo disse “radical” em termos de compromissos com a Santa Casa . Ele conclamou os prefeitos e secretários de saúde a conhecerem o trabalho que é desenvolvido na instituição.

O prefeito Dilador Borges, também falou e citou o descrédito dos políticos.

O diretor clínico da Santa Casa, Sérgio Smolentzov, coordenador médico do Serviço de Urgência e Emergência da Santa Casa de Araçatuba, Giulio Coscina e a gestora de Serviços Médicos, enfermeira Fernanda Contardi, falaram sobre aspectos técnicos da iniciativa.

De forma didática, Sérgio Smolentzov disse que em outros locais, recebe-se uma senha e o atendimento segue outros critérios, como idade, gestante, mulher com criança no colo e outros. No pronto socorro, o atendimento inicial será de um enfermeiro, que de acordo com relato do paciente, classifica e encaminha para atendimento.

MUDANÇA

Até então, a classificação de risco no Pronto-Socorro da Santa Casa era feita por meio dos sinais vitais avaliados e sintomas do atendido. O protocolo de classificação de risco que a Santa Casa de Araçatuba vai implantar possui cinco cores com seu limite de tempo especificado: vermelho (imediato), laranja (até dez minutos), amarelo (até uma hora), verde (até duas horas) e azul (até quatro horas). “O paciente vai chegar e tem até dez minutos para ser atendido pelo classificador. E depois de classificada tem esses tempos para atendimento. Isso vai ajudar a viabilizar com que o paciente mais grave tenha atendimento mais rápido”, explica o médico Sérgio Smolentzov , diretor técnico da Santa Casa de Araçatuba, ao lembrar que o hospital vai promover uma campanha de conscientização da população sobre essa mudança no Pronto-Socorro.

O coordenador médico do Serviço de Urgência e Emergência da Santa Casa de Araçatuba, Giulio Coscina ressalta que o novo protocolo agrega maior segurança ao público e aos socorristas. “Vai ter uma classificação mais coerente, uma mudança de costume e de paradigma e que funciona em muitos países.”

HABILITAÇÃO

A Santa Casa optou pela mudança de classificação de risco por ser habilitada dentro de uma rede de urgência e emergência do Ministério da Saúde, que também está sendo discutida pela Secretaria de Estado da Saúde. Essa rede exige a classificação de risco com o protocolo de Manchester. “Os profissionais já fizeram o curso e estão habilitados”, informa Coscina.

Após a habilitação, a Unidade de Urgência e Emergência foi readequada em sua área física e de pessoal. A direção do hospital já “investiu R$ 40 mil na capacitação de 20 enfermeiras contratadas para atuar como classificadoras de risco”, informa o provedor da Santa Casa, Jaime Monçalvarga. A Unidade terá um classificador 24 horas por dia. Hoje são nove e com o novo protocolo o setor terá 25 profissionais da área.

O Serviço de Urgência e Emergência da Santa Casa de Araçatuba oferece atendimento médico com dois profissionais clínicos mais um pediatra, das 7h às 19h. Conta ainda com um residente de pediatria e um residente de clínica nesse período. No período noturno são dois médicos clínicos que fazem também atendimento de pediatria. O Serviço dispõe também de 16 especialistas que podem ser chamados à qualquer momento para avaliar pacientes.

DA REDAÇÃO – Araçatuba

você pode gostar também