Caminhão autônomo é destaque no 10º Congresso Nacional de Bioenergia

Um caminhão capaz de transitar pela linha do corte da cana de açúcar de forma autônoma, sem intervenção do motorista, é uma das atrações do 10º Congresso Nacional de Bioenergia. Fabricado pela Volvo, o caminhão foi pensado exclusivamente para o setor bioenergético e está exposto no evento que acontece desde ontem no campus da UNIP, em Araçatuba.

Segundo Renan Schepanski, engenheiro participante do processo de desenvolvimento da tecnologia do caminhão, ele foi pensado especificamente para atender as necessidades do corte da cana e teve adequações no sistema e no trem motriz.

“A automatização desse caminhão é a que chamamos de nível 2, na qual são retirados as funções dos pés e das mãos do motorista para que sejam desenvolvidas pelo sistema implantado”.

Renan explicou que o motorista continua no caminhão para colocá-lo na linha de corte da cana, posicionado lado a lado da colhedora, mas é o sistema do caminhão que alinha exatamente sua posição para que não danifique as soqueiras na hora da colheita.

“O caminhão se alinha exatamente na posição correta, com margem de 2,5 centímetros de precisão, para evitar o pisoteio das soqueiras. É possível diminuir até 100% do pisoteio e assim garantir maior produtividade no campo”, explicou.

As informações para o alinhamento do caminhão são transmitidas através de GPS e dentro da cabine o motorista consegue monitorar a posição na qual deve colocar o caminhão para acompanhar a máquina colhedora.

Além do alinhamento para o corte, o sistema permite uma redução no consumo de combustível, já que a movimentação do caminhão controlado pelo software é mais constante.

O caminhão autônomo deverá chegar ao mercado para ser vendido em 2019. Hoje a Volvo já disponibiliza um outro sistema que auxilia na identificação das soqueiras para evitar o pisoteio, mas não alinha os equipamentos.

Ainda segundo o engenheiro da Volvo, não há previsão do valor pelo qual o caminhão autônomo será comercializado. “Nós ainda não temos um valor fechado, mas estamos trabalhando para que seja viável para os produtores para que atinjam o propósito do projeto que é gerar menos perdas e mais lucratividade”, afirmou Renan.

CONGRESSO

O 10º Congresso Nacional de Bioenergia reúne desde ontem cerca de 1.500 congressistas. A programação segue hoje, levando informações úteis para profissionais envolvidos com setor de bioenergia.

Fazem parte da programação do congresso salas de inovações tecnológicas, com apresentação de cases de sucesso de startups e pesquisas do CTBE (Laboratório Nacional de Ciência e tecnologia do Bioetanol) e universidades como Esalq/USP, Unicamp e Unesp voltadas para as áreas agrícola e industrial de usinas e destilarias.

Ao todo serão 13 salas temáticas nas áreas administrativa/financeira, agronômica, comunicação, controladoria/planejamento/custos, direito do agronegócio, industrial, inovações tecnológicas, mecanização, mercado/comercialização/logística, recursos humanos, saúde/segurança, meio ambiente do trabalho e suprimentos.

Karen Mendes – Araçatuba

você pode gostar também