Atlético terá de superar tabu em estádio onde nunca triunfou nem marcou gol

Vencer ou vencer. O lema do Atlético nesta reta final do Campeonato Brasileiro será passar por cima de todas as dificuldades, ainda que entre elas esteja superar o time de melhor campanha na competição. Para levar a melhor sobre o Corinthians, campeão nacional, domingo, o Galo terá de afastar um fantasma que o acompanha nos últimos anos: ainda não conseguiu triunfar e nem mesmo marcar gol no Itaquerão, o palco de abertura da Copa do Mundo no Brasil.

Em quatro jogos no campo do Timão, o alvinegro obteve apenas um empate e perdeu três vezes. Curiosamente, Itaquera é uma das poucas arenas do último Mundial em que a equipe mineira jogou e não venceu. Os outros foram a Fonte Nova, onde o alvinegro somou quatro empates em quatro jogos, e a Arena Pernambuco, palco onde em 2013 o Galo teve uma igualdade com Náutico. Em contrapartida, triunfou em outros seis estádios que receberam partidas da Copa: Mineirão, Maracanã, Mané Garrincha, Arena da Baixada, Beira-Rio e Arena Pantanal. Só não atuou na Arena das Dunas, no Castelão e na Arena da Amazônia.

Os jogadores do Atlético tentam criar estratégias para anular o ataque corintiano e arrancar os três pontos, vitais para manter o Galo na briga por vaga na Libertadores. “Vai ser um jogo com festa e motivação da torcida. Depois da derrota do adversário para o Flamengo e conhecendo o Fábio Carille, a mobilização para este próximo jogo será grande. Vai ter muita torcida e será um dos jogos mais complicados para nós, como têm sido vários neste Brasileiro”, projeta o lateral-esquerdo Fábio Santos, que conhece bem o Itaquerão: ele atuou pelo Corinthians por cinco temporadas, tendo participado de diversos jogos em Itaquera entre 2014 e 2015.

Para o atleta, o desafio inicial dos atleticanos é mostrar segurança na defesa, não permitindo que o Corinthians chegue com intensidade ao ataque: “É um jogo de inteligência. O Corinthians dá poucas brechas para os adversários, dentro ou fora de casa. Temos de evitar dar os contra-ataques deles e aproveitar nossas chances, como a bola parada ou as jogadas pelo meio. Eles entram como campeões, mas levaram goleada do Flamengo e querem vencer em casa. Temos de estar atentos”.

O lateral-esquerdo sabe que o Atlético esteve longe de mostrar bom futebol no Nacional, mas entende que tudo pode ocorrer nas duas últimas rodadas: “Fora de casa, até mantivemos uma regularidade e conquistamos pontos importantes. Mas, no Independência, perdemos pontos que fizeram falta. Não adianta lamentar agora. É um aprendizado para o ano que vem, para que isso não repita. Temos dois jogos a vencer, e como o sonho da Libertadores continua vivo, vamos atrás dele”.

A conquista do título brasileiro de forma antecipada pelo Corinthians é vista como um fator positivo para o Galo, já que o rival entrará em campo sem objetivos concretos. Depois do Timão, a equipe mineira pode até viver situação semelhante, já que pegaria um Grêmio logo após a disputa da final da Libertadores.

SEM DESFALQUES

Oswaldo começou a esboçar a equipe no treino de ontem. Sem desfalques por suspensão ou lesão, ele espera escalar força máxima em São Paulo. A novidade será o retorno de Adilson entre os titulares. O ex-gremista foi poupado contra o Coritiba por causa de desgaste muscular, sendo substituído por Yago.


Galo no Itaquerão

Data          Placar/Adversário    Competição
11/9/14     0 x 1 Corinthians     Brasileiro
1/10/14     0 x 2 Corinthians     Copa do Brasil
18/7/15     0 x 1 Corinthians     Brasileiro
5/10/16     0 x 0 Corinthians     Brasileiro

ESTÁDIOS DA COPA ONDE A EQUIPE VENCEU
Mineirão
Mané Garrincha
Maracanã
Beira-Rio
Arena da Baixada
Arena Pantanal

ONDE NÃO VENCEU
Itaquerão
Fonte Nova
Arena Pernambuco
NÃO JOGOU
Arena das Dunas
Arena da Amazônia
Castelão

Da Redação

você pode gostar também