Águas Andradina inicia sétimo ano de concessão com muitas conquistas e novos desafios

Nesses seis anos de atuação, a empresa elevou significativamente os níveis de qualidade de vida da população com a implantação de redes de esgoto em bairros estratégicos, como a Vila Mineira, o mais populoso da cidade. Também trouxe água fluoretada pela primeira vez aos andradinenses, além de eliminar o esgoto a céu aberto que corria, principalmente, pelos bairros periféricos, colaborando para redução da proliferação do mosquito da dengue.

Com isso, a população sentiu uma drástica redução nos insetos e pernilongos à partir de 2011. “Antes, erámos quase que ‘carregados’ por pernilongos”, lembrou a secretária Mariana Silva que reside na Vila Mineira. Muitos andradinenses se lembram de como essa situação era ‘fora de controle’, pois a coleta de esgoto não era adequada nem suficiente e o afastamento era precário, eles atacavam em qualquer época do ano”, acrescentou a secretária.

Um dos maiores investimentos da Concessionária está sendo a recuperação e modernização das Estações de Tratamento de Esgoto, com mais de R$ 10 milhões já investidos até agora. A primeira a receber as devidas adequações para obtenção da licença ambiental foi a ETE São Pedro.

Responsável por receber e tratar esgoto de cerca de 30% da cidade, incluindo os bairros Vila São Gabriel, Vila Messias, Jardim São Pedro, Jardim Santa Cecília, Bela Vista, Água Viva, Quintas dos Castanheiras, a ETE São Pedro utiliza o Sistema de lagoas Australiano, processo totalmente apropriado para o município e que atende à legislação de maneira plena e satisfatória.

Atualmente, a ETE Pereira Jordão está recebendo as adequações e uma nova lagoa de tratamento para recebera demanda atual e o crescimento populacional. Em seguida, será a vez das ETEs da Saudade e Figueira. “A recuperação das condições envolvendo coleta e tratamento de esgoto foi de fato a principal marca desses seis anos de trabalho. Vale lembrar que quando assumimos os serviços apenas 50% do esgoto era coletado e hoje estamos com 100% do esgoto coletado e tratado com as devidas autorizações e licenças ambientais exigidas pela Cetesb e DAEE”, conta Eduardo Gaiotto, gerente da Águas Andradina.

Ele ainda conta que nesses seis anos, foi um avanço muito grande reflete na condição de vida, saúde e sustentabilidade. “O desafio é ampliar o sistema de captação e tratamento de água que são novos reservatórios, novas redes adutoras e aumentando a produção com novos poços de maior capacidade para suprir a demanda crescente do município”, disse Gaiotto.

Há seis anos, Andradina contava com 24 poços em operação e hoje possui 44, destes cinco inativos e 39 em operação com as devidas licenças ambientas exigidas pela Cetesb e DAEE. “Todas as ações desde o início da concessão visam, que mesmo com o crescimento ordenado e o alto consumo em função dos dias muito quentes, a garantia do abastecimento e a continuidade dessa garantia com a ampliação de alguns sistemas, dentre eles o sistema central que é um dos principais da cidade. Não há falta d’água no município”, garantiu Gaiotto.

“A Águas Andradina prioriza o bom atendimento, trabalhando e investindo para alcançar seu potencial máximo, oferecendo a população andradinense mais qualidade de vida, treinando e capacitando seus colaboradores para transformar Andradina em ponto de referência no setor do saneamento básico”, descreveu a auxiliar administrativo, Ângela Aline Alvares de Oliva, que está há seis anos na empresa e tem orgulho de fazer parte desta equipe que trabalha dia e noite para aumentar ainda mais a qualidade de vida de quem mora em Andradina.

Da Redação

você pode gostar também