Apreensão de peixes na piracema em Mato Grosso ultrapassa em 360% a de 2016

Em 45 dias de piracema – período de reprodução dos peixes, em que a pesca é proibida – em Mato Grosso, o volume de apreensões já é 360% maior do que no mesmo período do ano passado.

Segundo a Secretaria de Estado de Meio Ambiente, mais de uma tonelada de pescado irregular foi apreendida. O total de multas aplicadas ultrapassa R$ 93 mil.

Durante a piracema só será permitida a pesca de subsistência, praticada artesanalmente por populações ribeirinhas ou tradicionais, como garantia de alimentação familiar.

A cota diária para esses pescadores será de 3 quilos e um exemplar de qualquer peso, respeitando os tamanhos mínimos de captura estabelecidos em lei. Estão proibidos o transporte e a comercialização de pescado oriundo da subsistência.

A modalidade pesque e solte ou pesca por amadores também estará proibida nos rios de Mato Grosso. Quem desrespeitar a legislação pode ter o pescado e equipamentos apreendidos, além de levar multa que varia de R$ 1 mil a R$ 100 mil, com acréscimo de  R$ 20 por quilo de peixe encontrado.

Agência Brasil

você pode gostar também