Prass afirma que dinheiro não é impasse para a sua permanência no Palmeiras

O goleiro do Palmeiras, Fernando Prass, ainda vive a indefinição sobre a renovação de contrato com o clube. O vínculo atual vai até o fim do ano, ainda não foi assinada a extensão do mesmo e, apesar desse panorama deste impasse, o jogador afirmou nesta quinta-feira à noite que a solução deve ser simples, pois a continuidade dele para atuar no clube pela sexta temporada não depende de dinheiro.

“Eu já falei, minha vontade é de ficar no Palmeiras. Óbvio que sou profissional, quero ser bem remunerado. O Palmeiras hoje tem condição de pagar, investir e valorizar seus jogadores, mas quem é mais próximo de mim sabe que não é dinheiro que vai fazer eu ficar no Palmeiras ou não”, afirmou o goleiro no Allianz Parque depois da vitória por 5 a 1 sobre o Sport, pelo Campeonato Brasileiro.

O resultado positivo, assim como derrotas na quinta à noite de Botafogo e Flamengo, colocaram o Palmeiras na fase de grupos da Copa Libertadores. A classificação antecipada deixa o clube mais cômodo para planejar a temporada, inclusive a possível renovação com o goleiro, que se arrasta há alguns meses. Além dele, os laterais Egídio e Zé Roberto são os outros do elenco a terem o contrato válido somente até dezembro.

Prass lamentou não estar com o problema já resolvido. “Queria que estivesse definido há muito mais tempo, óbvio. Todo jogador gostaria. Mas a gente sabe que o futebol é assim. O futebol tem seu tempo. Vamos esperar o final do ano, quando o clube já tiver resolvido toda a sua situação no campeonato, eu tento resolver a minha”, disse o jogador, que estreou pela equipe em 2013.

O goleiro nega que a demora em resolver a renovação seja um obstáculo para selar o acordo. “A partir do momento que o Palmeiras quiser ficar comigo e tiver realmente interesse e vontade de contar comigo não tem problema nenhum eu sentar e renovar o contrato”, disse.

Da Redação

você pode gostar também