Visitas são impedidas de entrar nos presídios após apreensões de objetos ilícitos

No final de semana, estabelecimentos prisionais subordinados a Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Oeste do Estado (Croeste) frustraram a entrada de objetos ilícitos nos presídios e que chegariam às mãos de presidiários. As tentativas de driblar a segurança foram barradas durante os procedimentos de revista.

Os visitantes flagrados são excluídos do rol de visitas e levados à Delegacia de Polícia Civil mais próxima, sem prejuízo de responderem na esfera criminal. Também é instaurado Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade dos presos que receberiam os materiais podendo, ainda, ser instaurados Procedimentos de Apuração Preliminar para apurar supostas responsabilidades funcionais.

Em Valparaíso, a mãe de um presidiário tentou entrar na unidade com uma sacola plástica contendo sabão em pó e outros pertences. Porém, entre os objetos estava um celular com bateria e chip. A mulher foi impedida de entrar e suspensa do rol de visitas.

Na Penitenciária “Vereador Frederico Geometti” de Lavínia (P1), ao passar os pertences pelo Raio-X a fim de visitar o companheiro que cumpre pena no local, uma visitante foi surpreendida por agentes penitenciários que identificaram um celular smatphone. O aparelho foi apreendido, a mulher encaminhada à delegacia e o sentenciado levado para o pavilhão disciplinar para apuração dos fatos. Já na Penitenciária “Luiz Aparecido Fernandes”, a (PII), cinco mulheres foram impedidas de entrar na unidade após serem flagradas com objetos ilícitos introduzidos no órgão genital, os quais foram descobertos durante o procedimento de revista, com o acionamento do banco detector de metais. Uma delas trazia um invólucro contendo um telefone celular, 50 centímetros de fio elétrico e seis centímetros de fio de estanho, enquanto as demais traziam cada uma um celular. Os presidiários envolvidos foram isolados preventivamente para responderem a procedimentos disciplinares, e as mulheres apreendidas perante a autoridade policial e suspensas do rol de visitas.

Na penitenciária de Andradina, ao analisar as imagens geradas pelo Body Scanner, pelo qual passam os visitantes de sentenciados durante os procedimentos de revista, um agente de segurança penitenciária observou que havia um objeto estranho na altura da cintura de um homem que visitaria o esposo na unidade. Ao ser indagado, o rapaz confessou que trazia comprimidos introduzidos no ânus e, em seguida, providenciou a retirada do material, entregando aos funcionários. Foram instaurados procedimentos administrativos para apurar os fatos e o homem foi suspenso do rol de visitas.

Da Redação

você pode gostar também