Ex-governador e filho são presos em nova Operação da Polícia Federal

A 5ª Fase da Operação Lama Asfáltica, chamada de Papiros de Lama, foi deflagada na manhã de ontem (14) pela Polícia Federal (PF) em Mato Grosso do Sul. O objetivo é combater uma organização criminosa que desviava recursos públicos. O grupo é acusado, entre outros crimes, de fraudar licitações e superfaturar obras. O ex-governador André Puccinelli, apontado como líder do grupo e seu filho, o advogado André Puccinelli Júnior foram presos.

“Há provas já existentes acerca de desvios e superfaturamentos em obras, direcionamento de licitações, uso de documentos falsos, aquisição ilícita e irregular de produtos e obras, concessão de créditos tributários direcionados e pagamento de propinas a agentes públicos. Prejuízos causados pelo esquema ao Erário passam dos R$ 235 milhões”, informa, por meio de nota, o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), que também participa da operação.

De acordo com a CGU, a operação desta terça-feira é decorrente da análise de materiais apreendidos em fases anteriores da Lama Asfáltica e de depoimentos de colaboradores que participaram do esquema delituoso. Segundo o ministério, “os valores repassados por propina eram mascarados com diversos tipos de operações simuladas, de forma a dar falsa impressão de licitude ao aumento patrimonial dos integrantes da organização ou de dar maior sustentação financeira aos projetos”.

Os policiais federais cumpriram dois mandados de prisão preventiva, dois de prisão temporária, seis de condução coercitiva e 24 de busca e apreensão. Além disso, a Justiça determinou o sequestro de valores nas contas bancárias de pessoas físicas e empresas investigadas.

As ações da PF ocorreram nas cidades de Campo Grande, Nioaque e Aquidauana, em Mato Grosso do Sul; e em São Paulo. Participam da operação mais de 300 pessoas, entre policiais federais e auditores da CGU e da Receita Federal.

 

PRESOS

André Puccinelli – ex-governador

André Puccinelli Júnior – advogado e filho do ex-governador

Jodascil Gonçalves Lopes – advogado ligado ao Instituto Ícone e portanto, a André Júnior

João Paulo Calves – advogado ligado ao Instituto Ícone e portanto, a André Júnior

 

CONDUÇÃO COERCITIVA

André Luiz Cance – ex-secretário adjunto de Estado de Fazenda, apontado pela investigação como operador de Puccinelli nas negociações para recebimento de propina

João Maurício Cance – apontado como integrante do “núcleo de Puccinelli” no esquema

João Amorim – empresário dono da Proteco Construções, alvo de Lama Asfáltica desde a 1ª fase

João Baird – empresário do ramo de informática, alvo de Lama Asfáltica desde a 1ª fase

Mirched Jafar Jr – empresário dono da Gráfica Alvorada, também investigado em outras etapas da operação

Antonio Cortez – empresário ligado a João Baird.

Da Redação

você pode gostar também