Motorista mata a mulher, enteados e depois suicida-se; filho de 9 anos escapou

A cidade de General Salgado, a 78 quilômetros de Araçatuba, população de 11 mil habitantes e que até terça-feira (10) havia registrado apenas dois homicídios neste ano (um foi de forma acidental), amanheceu njesta quarta-feira (11) sob o impacto de quatro mortes violentas. O motorista Valteni Ferrari, 55 anos, matou a golpes de canivete a ex-mulher, Sandra Regina dos Santos, 36 anos e os filhos dela, Erik dos Santos Souza, 19 anos e Vitória Yasmini dos Santos Ferrari, 14 anos (ele havia registrado a jovem em seu nome). Após o triplo homicídio, se matou. O filho do casal, Thierry dos Santos Ferrari, 9 anos, conseguiu escapar e trancou-se no quarto. Ele acionou a polícia pelo 190. O crime ocorreu por volta de 5h30.

O sargento Vitor, de General Salgado, foi um dos primeiros policiais a chegar ao local. Ele afirmou que em quase 15 anos de polícia, jamais tinha visto uma cena tão violenta.

As três pessoas assassinadas estam em meio a muito sangue. Já o motorista enforcou-se com uma corda amarrada na escada caracol entre a sala e cozinha e que dá acesso ao pavimento superior da residência. Policiais relataram que era impossível saber quantos ferimentos foram feitos em cada vítima.

No local, além do canivete, a polícia apreendeu um facão e um porrete. O facão pode ter sido usado por Erik dos Santos contra Valteni, já que o motorista apresentava alguns ferimentos na cabeça.

tragedia-familiar-general-salgado (80).JPG

Como ocorreu o crime
Sandra Regina dos Santos estava na cozinha com Rafael Ribeiro Pereira, 21 anos, namorado de Vitória Yasmini. Ele havia dormido na residência. O homem entrou na casa já com o canivete bastante pontiagudo na mão. Provavelmente ele pulou o muro da residência. O homem já seguiu em direção à mulher. Rafael correu para chamar um policial, que mora próximo. Acredita-se que os irmãos Erik e Vitória foram atraídos pelo barulho ou até mesmo para defender a mãe. Os dois morreram quase no mesmo local. Thierry, ao ver a cena de violência, trancou-se no quarto e acionou a polícia. O menino foi acolhido pelo Conselho Tutelar de General Salgado. Ele estava bastante abalado.

Problemas familiares
Pessoas que residem próximo à casa onde ocorreu a tragédia disseram que a família se mudou há pouco tempo para o local, mas não souberam precisar quando. Além disso, disseram que era comum ficarem no final da tarde sentados em um banco na calçada, mas eram de pouca conversa. Eram pessoas reservadas.

No final de setembro foi registrado um boletim de ocorrências de abuso sexual. A polícia estava apurando, por meio de inquérito, as circunstâncias do abuso supostamente cometido pelo motorista Valteni Ferrari contra a enteada registrada como filha, Vitória Yasmini.

A informação é que desde o registro da ocorrência ele estaria fora da cidade. Além disso, havia uma medida protetiva que o impedia de aproximar-se da família.
Há informações divergentes. Embora Rafael Ribero Pereira tenha afirmado que desde a denúncia o homem tinha desaparecido da casa, uma vizinha afirmou à reportagem que no final da tarde ele viu Valteni com a mulher e filhos em frente à residência. O fato não foi confirmado por outras pessoas.

Apuração dos fatos
A Polícia Científica esteve no local para perícia. As armas encontradas no local, canivete, facão e porrete foram apreendidos. O delegado titular de General Salgado, Eugênio Dias do Valle, também compareceu à cena do crime.

Os corpos foram removidos para o Institulo Médico Legal de Araçatuba para exame necroscópico.

tragedia-familiar-general-salgado (64).JPG

Homem tinha ciúme da enteada e fez ameaças à família
O motorista Valteni Ferrari vinha fazendo ameaças à família. Além disso, ele tinha muito ciúme da enteada Vitória Yasmini. Um homem que pediu para não ser identificado, disse que a jovem trabalhava em uma entidade assistencial, mas foi demitida porque o padrasto teria ido até o local de forma nada amigável.

Outras pessoas confirmaram que ele tinha muito ciúme da jovem e a impedia de namorar. Não queria rapazes por perto.

O namorado de Vitória, Rafael Ribeiro Pereira, confirmou o fato do ciúme. Ele disse que mesmo após a denúncia, Valteni teria dito a ele, em tom de ameaça, que havia saído, “mais ainda sou o homem da casa”. Valteni não queria que Rafael frequentasse a residência.

tragedia-familiar-general-salgado (71).JPG

O rapaz, que viu Valteni chegar à residência e fugiu para pedir ajuda, sabe que escapou da morte. Ele revelou sobre o assunto conversou apenas com Sandra Regina, mãe de Vitória Yasmini, que confirmou o ocorrido. Com a jovem não houve conversa sobre este assunto.

Rafael Pereira, que foi ouvido pela polícia, estava muito assustado e, assim como sua mãe, chorou muito.

Da Redação

você pode gostar também