Para delegado policial teve intenção de matar filho do coronel

O delegado Carlos Henrique Cotait, que presidiu o inquérito para apurar a morte do estudante Diogo Belantani (filho do tenente coronel Armando Belenatini Filho), ocorrida no dia 15 de julho, em Araçatuba, relatou e protocolou o documento no fórum ontem à tarde. Após a investigação, reconstituição e laudos técnicos, o delegado chegou à conclusão de que Vinícius Oliveira Coradim (policial militar) teve a intenção de matar. Não foi revelado qual o motivo que o levou a fazer o disparo. Coradim foi indiciado por homicídio duplamente qualificado. Na próxima semana o promotor Adelmo Pinho deve se manifestar oferendo a denúncia.

O crime ocorreu em uma chácara de familiares de Coradim, na Rua Baguaçu, em Araçatuba. Estavam apenas amigos. Sugiram várias versões. Primeiro foi de suicídio e depois de tiro acidental. Coradim chegou a ser preso por homicídio culposo (sem intenção). Porém, pouco tempo depois houve mudança na versão, passando para homicídio doloso (quando há intenção de e a polícia pediu a sua prisão temporária, que foi expedida pela Justiça. Ele foi preso e levado para o presídio militar Romão Gomes.

No relatório do inquérito, o delegado representou pela prisão preventiva de Coradim. O promotor, ao oferecer a denúncia, pode pedir a conversão da prisão temporária em preventiva.

ANTÔNIO CRISPIM – Araçatuba

você pode gostar também