Prédio desativado na Avenida Brasília é cedido após solicitação de Dilador

O prefeito Dilador Borges recebeu na manhã desta quinta-feira (14), a visita de Marta Penteado, assistente do Superintendente Robson Tuma, trazendo a notícia da aprovação do convênio que foi celebrado com a Superintendência do Patrimônio da União de São Paulo.

Convênio novo prédio da Brasília (3).jpg

A aprovação prevê a recuperação do prédio localizado no alto da Avenida Brasilia, número 2.683, para instalação da Vara da Fazenda Municipal e da Procuradoria da Fazenda Municipal.

A propriedade tem uma área de 2.283 metros quadrados e quando for recuperado substituirá a atual sede da Vara da Fazenda Pública Municipal que se localiza em um prédio antigo na rua XV de Novembro, próximo ao terminal de Transportes Urbanos de Araçatuba.

A conquista do prédio foi alcançada por meio do Programa de Regularização Fundiária de Imóveis do Governo Federal, por intermédio do Deputado Federal Fausto Pinato e do Superintendente do Patrimônio da União de São Paulo, Robson Tuma, depois de uma solicitação feita pelo prefeito Dilador Borges, no início de Setembro.

O PRÉDIO

O prédio que atualmente pertence à União, no passado foi sede de um dos consórcios controlados pela família Andorfato. Há alguns anos chegou a funcionar como casa noturna, denominada Coliseum.

Porém, com o fechamento do estabelecimento, o prédio foi desativado e agora estava ocupado irregularmente por algumas pessoas.

PROJETO

Com a posse do imóvel, a Prefeitura poderá desenvolver o projeto para recuperação e adequação do imóvel. Além da área construída, há espaço para estacionamento.

VARA DA FAZENDA

A Vara da Fazenda Pública funciona desde janeiro de 2002 no prédio próximo ao terminal de ônibus coletivo, no centro histórico de Araçatuba. Porém, o local está comprometido, pois o prédio está em condições precárias, com muitas goteiras. Além disso o espaço é inadequado para os juízes e serventuários da Justiça. Rotineiramente surgem ratos no local.

A mudança é uma antiga reivindicação do Judiciário e que agora será consumada.

DA REDAÇÃO – Araçatuba

você pode gostar também