Confirmada venda da Eldorado para grupo holandês por R$ 15 bilhões

A J&F, holding da família Batista, anunciou neste sábado (2) a venda da empresa Eldorado Brasil Celulose e Papel, em Três Lagoas, por R$ 15 bilhões para o grupo Paper Excellence, da Holanda. De acordo com as informações que circularam no mercado, inicialmente o negócio foi fechado com 35% da participação acionária, devendo ser concluída em até 12 meses. O anúncio chegou a surpreender, pois antes a J&F iniciou negociações com a chilena Arauco e havia outras interessadas, com a Fíbria, Suzano e até uma empresa tailandesa. Antes, o negócio girava em torno de R$ 8 bilhões e R$ 11 bilhões. Porém, os irmãos Wesley e Joesley Batista, que conduziram a negociação pessoalmente, conseguiram fechar em R$ 15 bilhões, portanto, bem acima do valor previsto inicialmente.
Além da Eldorado, J&F reúne os negócios dos irmãos Joesley e Wesley Batista, entre eles, o frigorífico JBS, com unidades em Lins e Andradina. Quanto ao JBS, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social está disposto a promover mudanças no comando da empresa. Esta prevista uma assembleia na sexta-feira, mas foi adiada, por decisão da Justiça, para o próximo dia 14.
Desde que o acordo de delação premiada dos irmãos Batista tornou-se pública, o grupo está se desfazendo de alguns negócios. Porém, até agora nada se compara à venda da Eldorado, que foi o maior negócio.
Conforme comunicado enviado à imprensa, o contrato de compra e venda foi assinado neste sábado e estabelece a transferência de até 100% das ações pelo valor de R$ 15 bilhões. A operação será finalizada em até 12 meses.
VENDAS
Esta é a terceira venda de ativos da J&F após o escândalo de corrupção envolvendo o nome do grupo. Em agosto, a J&F anunciou a venda da Vigor para o grupo mexicano Lala, em uma transação de aproximadamente R$ 5,72 bilhões. A J&F vendeu sua participação de 54,24% na Alpargatas para a Itaúsa, Cambuhy Investimentos e Brasil Warrant (BW) por R$ 3,5 bilhões, em junho. Em maio, a J&F fechou acordo de leniência com o Ministério Público Federal (MPF) e vai pagar uma multa de R$ 10,3 bilhões em 25 anos.
A JBS, controlada pela J&F, anunciou em junho a venda de ativos na Argentina, Paraguai e Uruguai para a rival Minerva, para reduzir seu endividamento e levantar recursos. Em junho, a JBS informou a realização de um programa de desinvestimentos de R$ 6 bilhões.

ELDORADO
A Eldorado produz atualmente aproximadamente 1,7 milhão de toneladas de celulose de eucalipto por ano. Para o grupo Paper Excellence, a aquisição é importante porque inclui no seu portifólio ativos de produção de celulose de eucalipto. No texto, a J&F destaca a qualidade dos ativos que compõem a Eldorado e as empresas afirmam que a negociação atendeu ao interesse das duas partes.
Em Três Lagoas há muita expectativa em relação à venda da Eldorado. A empresa iniciou um projeto de ampliação da fábrica, mas foi interrompido depois que os problemas tornaram-se públicos. Além de garantir a estabilidade na produção, com a oferta de milhares de empregos no campo e na fábrica, a expectativiva agora é de que o projeto seja retomado com a a abertura de novos postos de trabalho.

PAPER EXCELLENCE
O grupo Paper Excellence, novo dono da Eldorado, iniciou suas atividades em 2007, com sua primeira fábrica de celulose em Meadow Lake, no Canadá. Desde então, vem crescendo por meio da aquisição de fábricas. Hoje são cinco no Canadá e duas na França. Juntas, elas produzem 2,3 milhões de toneladas de celulose por ano e empregam mais de 2 mil funcionários.

 

 

você pode gostar também