Evento encoraja pessoas a denunciarem casos de violência

Centenas de pessoas se reuniram na Praça Rui Barbosa no último sábado para incentivar a denúncia de casos de violência e abusos contra mulheres, crianças e idosos. O evento faz parte da campanha Quebrando o Silêncio, realizada em toda a América do Sul pela Igreja Adventista.

Em Araçatuba, o evento contou com apoio da Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Cultura e Câmara dos Vereadores. Segundo o organizador do evento, pastor Joani Alves Ferreira Junior, o objetivo da ação é encorajar as pessoas a denunciarem os maus tratos e apresentar os meios por onde as denúncias podem ser feitas.

“As vezes a pessoa que sofre a violência não sabe a quem procurar para contar o que aconteceu. Por isso nós convidamos o Conselho Tutelar, a Delegacia da Mulher e a OAB para participarem conosco orientando a população sobre essa assunto tão sério”, explicou.

O prefeito Dilador Borges e a vice prefeita, Edna Flor, participaram da solenidade de abertura do evento, junto com o presidente da Câmara de Vereadores, Rivael Papinha, e da secretária de cultura, Tieza Marques de Oliveira.

MARIA DA PENHA
A campanha aconteceu no mês de comemoração ao aniversário da Lei 11.340, conhecida como Lei Maria da Penha. Os números sobre a situação das mulheres no Brasil são alarmantes: a cada dois segundos uma mulher é vítima de violência física ou verbal. Só no dia do aniversário da lei, 7 de agosto, cerca de 43,2 mil mulheres foram violentadas de alguma forma no país.

No Fórum de Araçatuba, onde há três varas criminais, há pelo menos 462 processos em andamento relacionados à Lei Maria da Penha, sendo 260 na Segunda Vara Criminal e 202 na Terceira; a Primeira Vara não informou a quantidade de processos.

Para acolher mulheres vítimas de violência e contribuir para que elas conquistem autossuficiência e resgatem a autoestina existe em Araçatuba o Centro de Referência da Mulher Josymary Aparecida Carranza. Entre os serviços ofertados estão acolhimento, atendimento socioassistencial, atendimento psicológico e orientação jurídica.

Há também oficinas de reflexão e encaminhamentos para outros projetos sociais do município. O telefone de contato é o 3623-4909.

Karen Mendes

você pode gostar também