Saúde promove palestras sobre importância da amamentação

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas, por meio do seu Departamento de Saúde Coletiva, promoveu palestras de capacitação e de conscientização sobre a importância do aleitamento materno para crescimento saudável do bebê e para a saúde da mãe.

As palestras foram ministradas pela médica endocrinologista infantil, Ana Karina Figueiredo, e pela odontopediatra, Karina Dias Monteiro de Campos, no início da tarde de quarta-feira (23), no recinto do plenarinho da Câmara Municipal.

A inciativa, com a participação das duas profissionais da Clínica da Criança, teve como objetivo levar aos demais profissionais, que trabalham nas Unidades de Saúde, “mais esta importante reflexão sobre o aleitamento materno”, como explicou a diretora do Departamento de Saúde Coletiva da SMS, Carolina Ramalho Masuko.

“O mês de agosto vem sendo transformado no Mês do Aleitamento Materno. Por isso, intensificamos a campanha, que deverá ser multiplicada pelos Agentes de Saúde, enfermeiras e enfermeiros, médicos e médicas e todos os que trabalham direta ou indiretamente com a saúde da criança e das mães que amamentam”, explicou Carolina.
No dia 8 de março de 2017, no Dia Internacional da Mulher, a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 3542/15, instituindo agosto como “o Mês do Aleitamento Materno – Agosto Dourado”. A matéria foi também aprovado em Plenário pelo Senado da República.

De acordo com o texto da Lei, no mês de agosto, deverão ser intensificadas ações de conscientização e esclarecimento sobre a importância do aleitamento materno, tais como realização de palestras e eventos, entre outros.

BENEFÍCIOS PARA A MÃE E PARA O BEBÊ
“São inúmeros os benefícios do aleitamento materno”, expôs a médica endocrinologista infantil, ao falar da “responsabilidade do desenvolvimento de ações para desmistificar os muitos e variados preconceitos que existem sobre a amamentação”.

Entre os benefícios para a mulher que amamenta estão: o estímulo ao vínculo efetivo entre a mãe e o bebê; contribui para a recuperação do útero, diminuindo riscos de anemia e hemorragia; ajuda a reduzir o peso e a minimizar o risco de desenvolver, no futuro, câncer de mama e de ovário, doenças cardiovasculares e diabetes.

Para o bebê, além de ser de fácil digestão, o leite humano provoca menos cólicas e a sucção colabora para o desenvolvimento da arcada dentária, da fala e da respiração, protegendo a criança contra doenças como anemia, alergias, infecções, obesidade e intolerância ao glúten.

Da Redação

você pode gostar também