Aumenta o número de financiamentos imobiliários com caderneta de poupança

O montante de financiamento imobiliário com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) atingiu R$ 3,8 bilhões em junho. Se comparado a maio, o valor é 6,5% maior. Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Na soma dos primeiros seis meses, foram financiados R$ 20,6 bilhões. No acumulado de 12 meses, finalizado em junho de 2017, foram aplicados R$ 44 bilhões na aquisição e construção de imóveis a partir dos recursos da poupança do SBPE.

O boletim destacou que o financiamento imobiliário viabilizou a aquisição e a construção de 181,7 mil imóveis em 12 meses, até junho de 2017, sendo 15,4 mil somente em junho.

Para o presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil da Região Oeste do Estado de São Paulo (SindusCon OESP), Aurélio Luiz de Oliveira Júnior, a rentabilidade da poupança garantiu que o interesse e os investimentos no mercado de imóveis novos tenha voltado a crescer. “É uma excelente notícia que mostra reversão no cenário econômico. Nesse panorama em que as vendas voltam a crescer, ainda que de maneira sutil, essa notícia é mais um sinal de que estamos entrando num novo momento”, comenta.

Otimismo

Somada à informação divulgada nos últimos dias, de queda sequencial dos juros, os novos dados da Abecip engrossam o sentimento de otimismo do setor, segundo o presidente da Abecip, Gilberto Duarte de Abreu Filho.

Segundo os dados da entidade, os financiamentos pela poupança foram menores do que os feitos pelo Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), com os quase R$ 47 bilhões da poupança contra os R$ 64 bilhões do FGTS. “Os preços de juros do FGTS são mais atrativos porque são mais competitivos mesmo com relação ao aluguel. O FGTS tem ocupado algum espaço da poupança principalmente por conta do Minha Casa, Minha Vida. Este mercado continua extremamente ativo”, diz Abreu.

A expectativa da Abecip é que, ao final de em 2017, o cenário seja de estabilidade, que os financiamentos por meio da poupança cresçam 5%, ao passar dos quase R$ 47 bilhões para R$ 49 bilhões. Para os financiamentos por meio do FGTS, a estimativa é a de que haja queda de 1,5% ao passar de R$ 64 bilhões para R$ 63 bilhões.

O Sindicato

O SindusCon OESP foi fundado em 1991, abrange os 42 municípios da região administrativa de Araçatuba, e possui atualmente cerca de 30 associados, dentre empresas de obras residenciais, comerciais, industriais, habitação popular, obras públicas e privadas.

DA REDAÇÃO – Araçatuba

você pode gostar também