Onça parda do Zoo tem recaída durante tratamento de pneumonia e morre

A Prefeitura Municipal de Araçatuba, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, informou ontem o óbito de um exemplar de onça-parda macho e que compunha o plantel do Zoológico Municipal Dr. Flávio Leite Ribeiro. O animal estava recebendo atenção especial no controle de obesidade, porém no dia 8 de agosto passou a apresentar sinais de inapetência (falta de apetite), apatia e sintomas respiratórios. Nestas condições, o veterinário responsável, Eustáquio Zacour Azevedo, logo indicou suspeita de pneumonia e iniciou o tratamento com antibiótico e anti-inflamatório, administrados via dardos.

Ocorreu uma melhora do quadro nos dias 10 e 11 de agosto, quando então o animal discretamente voltou a alimentar-se e o medicamento foi ministrado junto a comida neste período. Nos dias seguintes o animal apresentou recaída, o medicamento voltou a ser aplicado utilizando dardos, com o acréscimo de vitaminas. Não havendo regressão do quadro, o animal veio a óbito na manhã de 19 de agosto.

Nenão, como era carinhosamente tratado pelos funcionários, tinha 14 anos e chegou no Zoo trazido pela Policia Ambiental ainda filhote, junto a outro filhote fêmea, ambos vítimas da queimada de um canavial no município de Guararapes.

Foi, por longo tempo, papel da bióloga do zoo, Fernanda Andrade Bueno, explicar aos visitantes o porquê das cicatrizes que o animal apresentava e desenvolver momentos de educação ambiental frente ao cuidado que cada um deve ter com a fauna, importante para que um animal não precise ser levado a um Zoológico, como é o caso de animais que se tornam incapazes, por acidente ou violência, de viver independentes em vida livre.

A onça-parda (Puma concolor) é o segundo maior felídeo neotropical, menor apenas que a onça-pintada. Seu período de vida é de 8 a 13 anos em vida livre, podendo chegar até 20 anos em cativeiro.

Durante a manhã de sábado, o animal passou por necropsia, todos os órgãos foram analisados e fotografados, amostras foram coletadas e serão destinadas ao Laboratório de Patologias da Universidade Estadual Paulista (UNESP) onde passarão por investigação microscópica. Um laudo detalhado será disponibilizado aos interessados em até 30 dias.

DA REDAÇÃO – Araçatuba

você pode gostar também