Araçatuba inicia intervenções para modernizar o trânsito e reduzir acidentes

A Secretaria de Mobilidade Urbana de Araçatuba iniciou na sexta-feira a primeira etapa do projeto de modernização do trânsito de Araçatuba, conforme convênio assinado na terça-feira (15), em São Paulo, pelo prefeito Dilador Borges e pelo secretário de Planejamento Urbano e Habitação e de Mobilidade Urbana, Ernesto Tadeu Consoni. O convênio prevê investimentos de R$ R$ 1.335.928,65, que devem ser feitos no prazo de até 12 meses. “Vamos executar os serviços, depois a equipe técnica do Detran constata o que foi feito e libera o pagamento”, explicou o assessor executivo da Secretaria de Mobilidade Urbana, Reginaldo Frare. A primeira etapa consiste na recuperação da sinalização horizontal (solo).

Segundo o secretário Tadaeu Consoni, o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito – programa que atua para reduzir pela metade o número de fatalidades no trânsito até 2020, conforme resolução da Organização das Nações Unidas (ONO) aprovada em outubro de 2010 – todas as intervenções visam reduzir o número de acidentes e de mortes no trânsito. “Foi elaborado um minucioso estudo sobre as vias com maior ocorrência de acidentes. A partir deste estudo, foi elaborado um projeto para intervenções, como sinalização horizontal e vertical, sistemas de semáforos e campanhas de educação no trânsito”, explicou Consoni. Foram aprovados apenas os projetos de Araçatuba, Franco da Rocha e Marília. Além dos investimentos e ações por meio do convênio, a Secretaria de Mobilidade Urbana vai continuar com o seu planejamento de intervenções, “sempre visando a valorização da vida e um trânsito mais humanizado”, disse Frare.

Embora o convênio prevê quatro etapas, não há necessidade de concluir uma para iniciar outra. Elas podem ser desenvolvidas simultaneamente, de acordo com as disponibilidades técnicas e financeiras da Prefeitura.

As intervenções serão feitas em vias e locais de maior ocorrência de acidentes, conforme foi constatado no estudo elaborado. A sinalização de solo começou próximo ao cruzamento das ruas Olavo Bilac e Oswaldo Cruz e vai se estender por avenidas como Mário Covas, Valdir Felizola de Moraes, Araçá e outras vias, abrangendo “pare”, faixa de pedestre, parada de ônibus e outras. O trabalho deverá ser concluído em até 11 meses e no total serão 6.783 metros quadrados de sinalização.

A segunda etapa vai contemplar a sinalização vertical também nas principais vias. No total serão implantados 400 suportes e 550 novas placas. Este trabalho deve ser concluído também em até 11 meses.

A terceira etapa e que tem o investimento mais elevado – quase 70% do total do convênio – consiste na instalação de 19 conjuntos de semáforos. São equipamentos modernos, com lâmpadas de led e dotados de sistema GPS. Com isso, os semáforos podem ser sincronizados, adotando a tão esperada onda verde em importantes corredores de trânsito. Os processo licitatório já está em desenvolvimento. O prazo para concluir esta etapa é de até 12 meses.

A quarta etapa são as campanhas de educação no trânsito, como o Maio Amarelo, já desenvolvido pela Secretaria de Mobilidade Urbana de Araçatuba. Nesta segunda-feira já começa uma campanha com o objetivo de alertar os motoristas para não usarem celular em quanto dirigem. “Vamos desenvolver outras campanhas, como respeito às faixas de pedestres e também conscientizar o pedestre para os seus direitos e deveres, usado correto da seta e liberar passagem para veículos de emergência”, disse Reginaldo Frare.

Intervenções

Nos próximos dias a Secretaria de Mobilidade Urbana, com apoio de Secretaria de Obras e Serviços Públicos, vai começar outras ações para melhor o trânsito de Araçatuba. Segundo Ernesto Tadeu Consoni, nesta semana devem ser retiradas as sinalizações de “mão inglesa” na Avenida José Ferreira Batista. O sistema não foi respeitado e perdeu a sua utilidade. Por isso será retirado. Posteriormente, vários retornos da avenida serão fechados como forma de melhorar a segurança da via.

Reginaldo Frare e Tadeu Consoni (9).JPG

Outra intervenção prevista é diminuir a profundidade de valetas em cruzamentos de muito trânsito no local. Como os veículos têm de passar com baixa velocidade, formam-se extensas filas. Exemplo disso são os cruzamentos da Rua do Fico com a Rua Antônio Gomes do Amaral e da Rua Anselmo Manarelli com a Rua do Fico. Frare explicou que o problema é o tempo necessário para liberar o trânsito – sete dias. “Mas teremos de fazer”, concluiu

Agir

Ao falar sobre a assinatura do convênio, o prefeito Dilador Borges disse que não basta apenas fazer estudos e identificar os locais de acidentes. É preciso agir. “É o que vamos fazer agora com ações pontuais”, disse o prefeito.

Redução

Números divulgados pelo assessor executivo da Secretaria de Mobilidade Urbana, Reginaldo Frare, mostram que o número de mortes em acidentes de trânsito está caindo. Em 2014 foram 40 mortes no trânsito em Araçatuba. Já em 2015 foram 26. Em 2016 foram 24 mortes. Esta ano, até a primeira semana de agosto foram nove mortes.

Antônio Crispim

você pode gostar também