Tempo permanece chuvoso em Araçatuba até próximo domingo

Após uma estiagem histórica para Araçatuba, que durou 59 dias, a chuva chegou de surpresa no fim de tarde deste domingo (13) para refrescar o Dia dos Pais e o tempo deve permanecer assim até o próximo domingo (20), conforme o portal Climatempo. Araçatuba não registrava chuvas desde o dia 14 de junho, o maior período dos últimos 20 anos. A informação é do Centro Integrado de Informações Agrometeorológicas (Ciiagro), cujos registros, iniciados em 1996, apontam este como o inverno mais seco da série histórica na cidade.

Nesta quarta-feira (16) a manhã será de sol com aumento de nuvens e pancadas de chuva durante a tarde e a noite. Para quinta-feira (17) está previsto tempo chuvoso durante a manhã e aberturas de sol à tarde, com pancadas de chuva que vão até a noite. Do domingo, dia 20, está prevista a maior chuva da semana, de 20 mm. O dia terá sol com muitas nuvens durante o dia, com períodos nublados e chuva a qualquer momento.

Diferentemente do que estava acontecendo nos últimos dias a temperatura voltará a ficar abaixo dos 30 graus, sendo que a máxima girará em torno dos 25 gruas até a próxima semana. Com as chuvas e a diminuição da temperatura a umidade relativa do ar melhora e sai da casa dos 30%, que estavam sendo registrados durante as tardes dos últimos dias, e volta a ficar o dia todo acima dos 50%. Araçatuba estava registrando índices de umidade relativa do ar abaixo de 30% durante as tardes, o que é considerado estado de alerta pela Organização Mundial de Saúde.

INVERNO SECO

Antes do período de estiagem, em maio a cidade registrou 130,2mm de precipitação acumulada em sete dias de chuva, o maior volume para o mês desde 2007, quando choveram 162,4mm. Em junho deste ano foram sete dias de chuva e o acumulado ficou em 31,8mm, sendo que a média é de 41,7mm.

Já o mês de julho não registrou nenhum dia de chuva, situação que só ocorreu nos anos 1998 e 1999. Normalmente, a média para o mês é de 27,2mm, maior apenas que a de agosto, que é de 25,7mm. Nos anos que antecederam a crise hídrica no Estado de São Paulo julho e agosto, os dois meses mais secos do ano, tiveram os piores índices da série histórica do Ciiagro, mas ainda chegaram a acumular precipitação, o que torna este ano uma exclusividade, já que não houve nenhuma chuva.

Outro período de estiagem semelhante a este foi registrado em 1998, quando Araçatuba ficou 45 dias sem chuva (entre 20 de junho e 03 de agosto). Mais recentemente, em 2006 a cidade “secou” por 37 dias entre 28 de junho e 03 de agosto. Essa característica deste período do ano provoca o aumento das queimadas.

FERNANDO VERGA – Araçatuba

você pode gostar também