Elogiado pelo técnico após vitória, Giovanni mostra surpresa: “Não pensava em jogar assim”

Se a vitória do Náutico sobre o Figueirense na terça-feira representou, já em primeiro plano, o início da reação alvirrubra para permanecer na Série B no próximo ano. Trouxe também um reforço determinante para a trajetória que o time terá pela frente: o meia Giovanni. Até a partida, foram 30 dias parado se recuperando de uma lesão parcial no ligamento colateral medial do joelho esquerdo. Contra o Figueirense, na Arena, o retorno não poderia ter sido desenhado com um roteiro melhor. Destaque em campo, gol marcado e participação direta no segundo gol. Realidade que não era imaginada nem pelo jogador.

“Para ser sincero não (pensava que seria assim). Eu pensava sim em voltar com o nosso time ganhando, mas não pensava em jogar desse jeito, porque é muito difícil ficar 30 dias parado. Esperava correr, fazer uma boa movimentação, tentar acertar algum passe. Fui muito feliz hoje”, disse o meia após o jogo.

Acionado no time titular, dividindo o meio de campo com William, Giovanni foi um dos responsáveis pela construção das jogadas ofensivas do Alvirrubro, também ao lado do atacante Erick. Abriu o placar ainda aos 17 minutos e encontrou Breno Calixto livre na área para dar a assistência para William marcar o segundo gol. Uma reunião de passes precisos e visão de jogo que rendeu ao meia expressivos elogios do técnico Roberto Fernandes após a partida.

“O Giovanni é um jogador que mesmo dentro da nossa necessidade de vitória, se tivéssemos forçado a barra, teria jogado contra o América-MG (derrota por 1 a 0) e talvez não tivesse tido a performance que teve contra o Figueirense. É um atleta que passa por recuperação, mas já começa a render o que pode render. É diferenciado e atuou dentro da montagem tática do que eu vinha pedindo de agressividade, na vertificalização do jogo. Ele abusou de enfiar passes entre as linhas. O 2 a 0 saiu muito barato”, avaliou o treinador.

Da Redação

você pode gostar também