Fábio Carille reúne elenco e Corinthians busca ‘perfeição’ para ficar no topo

O técnico Fábio Carille tenta constantemente evitar uma acomodação dos jogadores do Corinthians pela vantagem de oito pontos na liderança do Campeonato Brasileiro, com um jogo a menos que os seus adversários. Contente para a segunda semana sem jogos que terá para trabalhar a equipe, ele reuniu o elenco e traçou algumas metas para os atletas cumprirem na segunda metade da competição.

“Carille já passou dados do que a gente fez de bom e de ruim, pedindo que a gente melhorasse e fosse o primeiro em tudo, posse de bola, chute…”, comentou o volante Fellipe Bastos, sem dúvidas na hora de classificar as orientações como um pedido para que o Timão, dono do melhor turno da história dos pontos corridos, fosse perfeito. “Vamos buscar essa perfeição para que a gente possa conquistar esse título”, avaliou.

Em termos de números, Carille tem mais a focar na parte ofensiva, já que o Timão perde para o Grêmio em gols marcados (32 a 35). A equipe, por sinal, teve mais posse de bola em apenas cinco das 19 partidas do primeiro turno, empatando quatro e ganhando apenas uma (Botafogo). A ideia é que, se necessário, o time possa controlar as ações e furar as defesas mais bem postadas sem depender de erros do rival e contra-ataques,

O treinador, por sinal, demonstrou certa preocupação em fazer com que os 14 dias de intervalo entre as partidas contra Sport, no último dia 5, e Vitória, neste sábado, no estádio de Itaquera, dessem apenas resultados positivos, auxiliando na recuperação de atletas machucados e prevenindo lesões daqueles que vinham em longas sequências de jogos.

Com o auxílio do departamento físico, ele tirou Balbuena de três atividades no campo, por exemplo, dando ao paraguaio a oportunidade de fazer trabalhos na academia e no laboratório R9 para controlar seus níveis de força. Em campo, a ideia foi mostrar mais precisão no passe com treinos em campo reduzido e, a partir dos próximos dias, apostar no trabalho de jogadas ofensivas e bolas paradas.

“Temos o Cifut, que ajuda, o Fedato (Filho, fisioloista), vamos saber levar essa semana. Não vamos perder isso que preocupa mais quando para, que é o ritmo de jogo”, assegurou Carille, que vê espaço para o time criar mais chances de gol e buscar alternativas para escapar da pressão do adversário, como aconteceu diante do Cruzeiro e do Flamengo, dentro de Itaquera.

Além do trabalho desenhado pela comissão técnica, porém, os jogadores acreditam que o clima de amizade que onda o elenco é essencial para que ninguém “suba no salto” durante o Brasileiro. “Cada jogo que passa parece que todo mundo está cada vez mais em sintonia. Isso ajuda muito, hoje no futebol isso ajuda muito. A partir dessa semana o bicho vai pegar de novo”, concluiu.

Da Redação

você pode gostar também