Chinelo continua à frente do partido PSB na região

A convenção realizada pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) neste sábado (12) em Araçatuba reafirmou a liderança do coordenador regional da sigla, José Avelino Pereira, o Chinelo, e também o apoio ao governo DilaFlor, do prefeito Dilador Borges e da vice Edna Flor. O encontro aconteceu na Câmara Municipal e reuniu cerca de 200 pessoas, entre correligionários, políticos de partidos aliados e representantes do governo municipal. Cerca de 150 pessoas estavam segurando bandeiras do partido pelo Centro de Araçatuba.

De acordo com Chinelo, o PSB continuará na base de apoio ao prefeito Dilador pelo respeito que tem mostrado com o dinheiro público. “Temos percebido que o Dilador tem cumprido rigorosamente o compromisso de respeitar o dinheiro público, acabou com aquelas tetas que tinha no governo municipal, então realmente o PSB confirma o apoio”, disse. Entretanto, gostaria de mais espaço na administração. “Se você perguntar pra mim se nós estamos satisfeitos é claro que eu queria mais um pouco. Acho que o prefeito cortou bastantes cargos, cortou bastante comissão. O governo mudou”, argumenta.

Ele afirmou estar satisfeito com o espaço que Edna tem ocupado no governo municipal. “Eu acho que o governo deu o espaço devido, independente da participação que cada um teve no projeto de eleição, acho que cada um está tendo sua fatia”, disse.

ESTADO
Chinelo afirmou que o PSB vai lançar a candidatura do atual vice-governador estadual, Márcio França, a governador em 2018. De acordo com ele, na pior das hipóteses Geraldo Alckmin seria candidato ao senado, “por que ele vai precisar de mandato”. “Mas nós temos aí o Doria, que é um fator complicador, uma grande liderança. Mas o projeto do PSB é lançar o Márcio a governador, seja com o PSDB junto ou não, nós vamos lançar a candidatura própria por que isso nós estamos trabalhando há alguns anos, então é um sonho do partido”, enfatizou.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA
Para o coordenador regional do PSB, essa candidatura é fundamental para um projeto maior, que é consolidar uma disputa à Presidência da República. “Se nós queremos almejar a presidência da república não dá pra não ter candidato no maior estado da federação. Se nós almejamos o poder temos que ter candidatos a vereador, prefeito, deputado estadual, federal, todas as esferas, temos que ter para consolidar o projeto maior, que é a presidência da república”, disse.

Fernando Verga

você pode gostar também