Feira Livre no shopping dá exemplo de empreendedorismo com parcerias

No meio do seu segundo mês de experiência, a Feira Livre dentro do Shopping Praça Nova, realizada em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agroindustrial (SMDA) de Araçatuba, já comemora saldo positivo em seu formato inovador.

Arnaldo Vieira Filho, assessor executivo da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agroindustrial, conta que a gestão de marketing do Praça Nova, apoiada em tendência crescente na capital paulista, teve o interesse de trazer a proposta para Araçatuba, transformando-a na primeira cidade de todo o interior a ter uma feira livre totalmente montada no corredor interno de um shopping center.

Apenas a barraca de pastel e o carro de caldo de cana foram instalados do lado de fora, mas imediatamente na saída mais próxima da feirinha, criando uma mini área de alimentação com acesso rápido e confortável.

“Pediram o apoio da prefeitura para buscar a legalidade e a gente já de cara topou o desafio, porque acreditamos que é importante para os produtores, feirantes e população terem mais um ponto de venda e com produtos de qualidade”, justifica Arnaldo.

PARCERIA FORTE
A prefeitura, por meio da SMDA, entrou com as ideias e orientações, desde a constituição, sobre área útil, redimensionamento das barracas, critérios de vigilância sanitária e controle de qualidade. “Para fazer uma feira diferenciada, pinçamos bons feirantes, procurando orientá-los num leque que pudesse atender o consumidor também. Tivemos várias reuniões, fizemos a sensibilização, pois a feira é noturna, num período que eles não estavam acostumados a trabalhar, e a engrenagem já começou a rodar. Agora como um polo, com mais de trinta dias, há um êxito bastante grande, todos os feirantes estão bem satisfeitos”, explica o assessor.

Luzia Aparecida Pompilio Murari, fiscal municipal da feira de rua há mais de 20 anos, fala do controle de qualidade da feirinha. Ela esclarece que o feirante já tem todo um procedimento para trabalhar. “Passam por vigilância sanitária, o produto tem que ser vistoriado, porque temos que trazer ao consumidor um produto de boa qualidade. Eu observo que o pessoal que vem ao shopping está adorando e o período que mais vende é no final do horário de funcionamento, pois o próprio pessoal que trabalha no shopping e os moradores daqui de perto aproveitam e já levam tudo para casa”, descreve.

ALMA DO NEGÓCIO
O projeto reúne antigos e novos feirantes e já tem chamado a atenção de muitos outros interessados em participar. O próprio shopping faz toda a divulgação, mas o boca-a-boca também funciona nas feiras livres de rua, onde os participantes divulgam que estão no shopping.

Da Redação

você pode gostar também