Taylor Swift comparece ao 1º dia de julgamento contra radialista; cantora deve testemunhar

Começou nesta segunda-feira (7) o jugamento da ação movida por Taylor Swift contra David Mueller. A cantora acusa o radialista de assédio sexual ao colocar a mão por debaixo de seu vestido durante um encontro de “meet & greet” antes de um show em Denver, nos Estados Unidos, em 2013. A foto circulou pela internet três anos depois com o auxílio do TMZ e está sendo usada como prova no processo.

De acordo com a Billboard, a cantora esteve na audiência e ficou sentada sem pronunciar nenhuma palavra durante as quatro horas de julgamento. A cantora é aguardada para depor e um forte esquema de segurança já está sendo providenciado para que a presença da cantora no tribunal evite aglomeração dos fãs. De acordo com os advogados da cantora ela “declarará no julgamento que Mueller ‘pôs sua mão sob o seu vestido e agarrou seu traseiro”.

Em entrevista ao site Hollywood Reporter, Taylor diz que realmente acha que foi um caso de abuso: “foi completamente intencional, e nunca tive tanta certeza de nada na minha vida”.

O radialista nega, diz que foi injustamente acusado pelos seguranças da cantora e chegou a abrir uma ação contra Taylor pedindo US$ 3 milhões por danos e prejuízos – ele foi demitido dois dias depois da história se tornar pública. Já Taylor revelou que o US$ 1 milhão que possa vir a receber caso a sentença saia a seu favor será doado para organizações filantrópicas que lidam com mulheres vítimas de assédio sexual.

O julgamento deve durar nove dias.

Da Redação

você pode gostar também