Semana mundial da amamentação conscientiza e orienta mães em Araçatuba

Agosto é o mês de conscientização sobre o aleitamento materno e seus benefícios. Os primeiros sete dias integram a Semana Mundial da Amamentação (SMAM) e são marcados por eventos e palestras em todo o mundo para orientar a população e incentivar a amamentação.

Em Araçatuba, a Prefeitura Municipal e a Unesp/FOA têm uma extensa programação de palestras e atividades sobre o tema para auxiliar as mães nessa tarefa tão importante para o desenvolvimento saudável dos bebês.

Até o dia 7, a UNESP/FOA realiza ações no AME – Ambulatório Médico de Especialidades, Santa Casa de Misericórdia, Unidades de Saúde de diversos bairros, calçadão da Marechal Deodoro, Clínica de Gestantes da FOA-Unesp e pontos do comércio.

Já a programação da Prefeitura vai de hoje até dia 26, com palestras em várias UBSs e um mamaço com atividades culturais e recreativas para encerrar o evento, na Praça Getúlio Vargas. A cerimônia de abertura das comemorações de aleitamento materno e a primeira palestra acontecem hoje, às 14h, no Teatro Municipal Paulo Alcides Jorge.

BENEFÍCIOS DA AMAMENTAÇÃO

O leite materno contém mais de 240 componentes que atuam no sistema imunológico, agindo como protetores, bactericidas, anti-inflamatórios ou imunomodularores.

Bebês que mamam exclusivamente no peito até os seis meses têm menos risco de desenvolver alergias, obesidade e intolerância ao glúten. Além disso, o momento da amamentação aumenta o vínculo entre a mãe e filho, colaborando para que a criança se relacione melhor com outras pessoas.

Os benefícios não ficam somente para as crianças. As mães que amamentam têm mais facilidade na perda de peso pós-parto, níveis reduzidos de colesterol, glicose e pressão alta. Também têm menos chances de desenvolver câncer de mama e de ovário.

UM SONHO REALIZADO

Juliana Carvalho Reis, 32 anos, é mãe de Samuel, de 4 anos, e Maitê, de seis meses. Com o primeiro filho, dificuldades com a pega correta não permitiram a amamentação exclusiva com leite materno. ”O Samuel não fez a pega direito, por isso machucou muito meu peito e então, desde os 15 dias, usamos o complemento e ele só mamou o peito junto até os cinco meses”, conta.

Já na segunda experiência, Juliana comemora seis meses de amamentação exclusiva em livre demanda, ou seja, Maitê mama na hora em que sente fome, sem horários determinados. ”A Maitê fez a pega perfeita desde a primeira vez. Como tinha a experiência da primeira vez e tinha lido muito a respeito, conseguimos seguir com a amamentação e faz muito bem para ela.”

Juliana afirma que a bebê tem ótima saúde e que problemas comuns aos bebês, como cólicas e dificuldades intestinais, foram episódios isolados. ”Ela teve cólica em algumas vezes entre os 30 e 60 dias de vida e nunca mais, nem gases”.

Para Juliana, a sensação de amamentar é inexplicável. ”Não encontro as palavras para descrever o que eu sinto amamentando. É uma realização absoluta para mim e um vínculo inexplicável que tenho com ela”, comemora.

Karen Mendes – Araçatuba

você pode gostar também