Excesso de erros nas finalizações continua como um dos principais problemas do Galo

Em sua pior fase técnica dos últimos anos, o Atlético acumula problemas em excesso e busca soluções a curto prazo para acalmar a impaciência dos torcedores. O baixo aproveitamento nas finalizações tem sido uma dor de cabeça que vem desde os tempos em que Roger Machado era o treinador. Sob o comando de Rogério Micale, o Galo continua tendo um número razoável de finalizações a cada jogo, mas grande parte não é convertida, ou mesmo passa longe pelos goleiros adversários.

O momento ruim nem está diretamente relacionado com a lesão de Fred, que está em tratamento de lesão na panturrilha direita e só volta no fim deste mês. Nos últimos jogos do camisa 9, a equipe também teve dificuldade e diminuiu consideravelmente a quantidade de gols. Nos 10 jogos anteriores, a equipe marcou nove vezes, com média inferior a um por partida – em cinco delas, o time alvinegro passou em branco.

Na derrota para o Corinthians por 2 a 0, no Mineirão, a falta de pontaria foi uma das justificativas de Rogério Micale para analisar a atuação ruim. Os donos da casa chutaram 14 vezes, mas somente quatro foram em direção ao goleiro Cássio. Elias, Cazares e Robinho se transformaram em vilões e foram criticados por desperdiçar boas chances.

Micale entende que o ataque tem sido um problema crônico, mas ressalta que não há tempo para trabalhar o fundamento técnico: “Confesso que é complicado trabalhar a parte técnica isolada num calendário com muitos jogos. Os jogadores têm desgaste muscular enorme e se tiver um treino com volume, o risco de lesão aumenta muito. É algo que temos de ajustar, mas não será prioridade”.

O rendimento do setor ofensivo foi melhor diante do Coritiba: seis das nove finalizações foram em direção ao gol adversário. Ainda sob o comando de Roger Machado, o Galo teve números ainda piores: somente um dos 12 chutes contra o Jorge Wilstermann foram certos e sete das 17 finalizações tiveram êxito na derrota para o Santos.

A ansiedade na hora de concluir a gol tem prejudicado a equipe. “Certamente, o time não está tranquilo na hora de finalizar. A ansiedade está nos prejudicando. Infelizmente, temos criado, mas a bola não tem entrado. Temos que melhorar com o trabalho. Trabalhar no dia a dia para a bola voltar a entrar novamente”, analisou o zagueiro Gabriel.

VENCER FORA
O time volta a campo no domingo contra o Grêmio, em Porto Alegre, e aposta no bom desempenho fora de casa neste Campeonato Brasileiro para espantar o mau momento. Micale vai avaliar com calma os jogadores que estão desgastados fisicamente e pode preservar alguns titulares. O zagueiro Leonardo Silva cumpre suspensão automática pelo terceiro amarelo e o ex-júnior Bremer forma a zaga com Gabriel em Porto Alegre.

Libertadores no Mineirão
Como esperado, o Atlético confirmou ontem que o duelo contra o Jorge Wilstermann, na semana que vem, será no Mineirão. A diretoria entende que a atmosfera do jogo contra o Corinthians – com direito a recorde de público no estádio em 2017 (superior a 45 mil pagantes) – pode ser explorada pela equipe na tentativa de garantir vaga às quartas de final da Copa Libertadores. A venda on-line dos ingressos para sócios começará hoje. Na terça-feira, o público em geral poderá ter acesso aos bilhetes. Para passar de fase, o Galo precisa vencer por dois ou mais gols de diferença, já que foi derrotado em Cochabamba por 1 a 0, no mês passado.

Falta de pontaria

Data    Placar/Adversário        Competição      FC    FE
5/7     0 x 1 J. Wilstermann    Libertadores     1    12
9/7     1 x 1 Atlético-PR          Brasileiro         6    2
12/7   0 x 1 Santos                Brasileiro         7    17
16/7   2 x 1 Atlético-GO          Brasileiro         2    3
19/7   0 x 2Bahia                   Brasileiro        10    13
22/7   1 x 2 Vasco                  Brasileiro         2    10
26/7   0 x 3 Botafogo             Copa do Brasil  2     9
30/7   2 x 0 Coritiba               Brasileiro          6    3
2/8     0 x 2 Corinthians          Brasileiro          4    10

FC – finalizações certas FE – finalizações erradas

Da Redação

você pode gostar também