Selena Gomez fala sobre inseguranças e The Weeknd para a revista InStyle

Selena Gomez está na capa da edição de setembro da InStyle Magazine americana e falou sobre insegurança, sua internação e o namoro com The Weeknd.

Confira alguns trechos da entrevista:

Muita coisa mudou nos últimos quatro anos – tudo parece tão maior.
Eu sei. No Instagram os fãs me mandam esses vídeos antigos e eu me emociono porque eu penso ‘nossa, a minha vida parece tão diferente agora’. Não que isso seja ruim, mas é apenas maluco.

Isso é muito para você lidar – sabendo que muitas pessoas contam contigo?
Pode sim ser tudo demais, mas eu tento balancear com o que me deixa feliz. Eu faço parte de um projeto bem legal.

Você acabou de fazer 25 anos. Você está indo para o próximo quarto de vida.
Eu gostaria que números não existissem às vezes, porque eu me sinto com 15 anos em alguns dias e em outros eu acordo e estou com 40. É tão estranho, como um ano pode mudar muita coisa. Ano passado cancelei minha turnê e passei 90 dias fora, e foi a melhor coisa que eu poderia ter feito. Eu não tinha telefone, nada, e foi assustador. Mas foi maravilhoso e eu aprendi muito.

Noventa dias é muita coisa.
Tudo o que eu me interessava, deixei pra lá. Eu saí e disse ‘ok, agora só posso ir para frente’. E há ainda ‘dias’. Eu vou para terapia. Acredito nisso e em conversar sobre onde você está, mas eu estou em um momento muito, muito saudável.

Como foi lá?
Eu não fazia meu cabelo, fiz terapia com equinos o que é lindo, mas bem difícil obviamente. Mas eu sabia o que meu coração estava dizendo e pensei ‘ok, acho que isso vai me ajudar a ficar forte para outras pessoas’. Quando saí fui convidada para ir ao American Music Awards e todo mundo ficava me dizendo para fazer o que eu me sentia confortável. Não ueria que meus fãs tivesse uma imagem negativa do que é se cuidar, então eu fui de cabeça erguida e eu te disso, a primeira vez que pisei no tapete vermelho foi demais para lidar. Eu sentia o suor nas minhas costas.

Quando você estava fazendo coletiva para divulgar “13 Reasons Why”, da Netflix, você disse ‘quanto mais velha fico, mais insegura eu fico’. Me explica o porquê.
Isso é o que eu mais trato na terapia. Por causa das mídias sociais, por causa de toda a pressão que garotas sofrem, é muito difícil. É legal se manter conectada, ver as coisas, e ter uma noção do que seus amigos estão fazendo. Mas isso também permite que as pessoas a pensarem que eles precisam certa imagem ou ser de certa forma. E agora parece que é mais invasivo – você tem pessoas ruins tentando tirar coisas negativas de você e essa energia te faz sentir má consigo mesma. Não dá para evitar. É difícil descobrir quem é você durante toda essa confusão e pressão.

Como você aprendeu a falar por si mesma?
Aprendi o poder de dizer não. Me sinto empoderada quando digo isso. Recentemente estava sozinha com pessoas da minha gravadora e olhei para a mesa e disse ‘respeito suas opiniões, mas vocês vão ter que deixar eu dar a palavra final. Me deem apenas alguns dias para pensar nisso’. E saí de lá me sentindo a Anne Hathaway em ‘Diabo Veste Prada’, sabe, ‘Eu fiz… isso?’. Me sinto bem porque não estava sendo desrespeitosa. Apenas honesta.

Você tem mais alguns singles a caminho e um álbum? Quer fazer turnê de novo?
Sim. Fazer turnê é uma das coisas mais bonitas de fazer música. Ver o rosto das pessoas, se conectar com eles.

“13 Reasons Why” está indo para a sua segunda temporada. Você esperava opiniões divergentes sobre o projeto?
Eu não imaginava que estouraria como estourou, positivamente e, claro, com controversas. Então na segunda temporada, vamos responder muitas perguntas que foram levantadas. E eu acho que nosso programa abre a possibilidade de conversar. Ele assusta as pessoas, mas é muito importante.

Você parece que está muito feliz com o seu namorado, Abel.
Sim estou. É ótimo. Eu não preciso de ninguém da indústria na minha vida para me fazer feliz. É importante para mim amar e prestigirar meus amigos e família e ter a certeza que eu nunca serei influenciada por um cara. Eu queria estar em um momento forte há alguns anos e eu não estava. Antes, eu era facilmente influenciada e eu me sentia insegura. Você quer alguém que adicione algo a sua vida, não que te complete, se isso faz sentido. Tenho sorte porque ele um melhor amigo do que qualquer outra coisa.

Da Redação

você pode gostar também