Araçatuba detectou 12 casos de hepatite durante a campanha

O Ambulatório de DST/Aids e HV de Araçatuba divulgou balanço das atividades desenvolvidas durante o mês de julho, que foi voltado para a prevenção contra hepatites tipos B e C. Foram realizados 766 testes para o tipo B, encontrando quatro casos positivos, e 766 para hepatite do tipo C, dos quais oito foram positivos. A campanha anualmente acontece por conta do Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais, lembrado em 28 de julho. Neste ano os casos de notificação da doença aumentam no Estado de São Paulo. Em 2016 foram registrados 7,6 mil casos de Hepatite C contra 4,9 mil em 2014. Já os casos de Hepatite B aumentaram 3,7% no mesmo período.

Conforme explica a dirigente do Ambulatório, Sandra Margareth Exaltação, além de testagem foram feitas ações de prevenção com palestras para pessoas que frequentam os CRAS e Centro POP, em parceria com a Assistência Social, Secretaria de Segurança e Fórum de Araçatuba. As palestras também ocorreram em empresas da cidade. Com relação aos casos de hepatite C, Araçatuba registrou em 2015 39 casos, 23 em 2016 e 12 neste ano. Sobre casos de hepatite B, foram 22 em 2015, 6 em 2016 e cinco neste ano. O telefone do Ambulatório é (18) 3623-3895.

Em Birigui, a Secretaria de Saúde informou que 101 pessoas foram atendidas pela campanha Julho Amarelo, sendo que foram aplicadas 404 testagens. Neste ano foram registrados 20 casos de hepatites virais na cidade. No momento cinco pacientes portadores de hepatite C e três portadores de hepatite B estão em tratamento. A prevalência é de pacientes do sexo masculino com idades acima dos 40 anos. Em 2015 o município registrou 25 casos, sendo 19 de hepatite C e seis do tipo B. Em 2016 os casos aumentaram para 33, sendo 25 do tipo C e 8 do tipo B. O acompanhamento e tratamento desses pacientes é feito pelo Serviço de Assistência Especializada (SAE), onde são realizadas consultas periódicas, exames de rotina e fornecimento das medicações. O telefone para contato é (18) 3643-6262.

TRATAMENTO

Os casos notificados em Araçatuba estão sendo acompanhados pelo Ambulatório. Antes de iniciar terapia medicamentosa, os pacientes realizam exames de biologia molecular e outros para definir o grau de fibrose do fígado e o genotipo do vírus, no caso da Hepatite C.

Após essa etapa é definida a terapia medicamentosa para o tratamento. As Hepatites podem acometer qualquer pessoa que tenha contato com sangue contaminado ou relação sexual desprotegida. “Focamos nas pessoas com mais de 40 anos, porque as pessoas podem ficar de 20 a 30 anos sem sintomas e após esse período apresentarem sintomas como cirrose, insuficiência hepática e hepatocarcinoma (câncer)”, explica Sandra Exaltação, coordenadora do Ambulatório.

PREVENÇÃO

Não compartilhar material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos, entre outros), de higiene pessoal (lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou para confecção de tatuagem e colocação de piercings. A doença pode ser transmitida de mãe infectada para o filho durante a gravidez e por sexo sem camisinha com uma pessoa infectada.

FERNANDO VERGA – Araçatuba

você pode gostar também