Brasil repudia volta à prisão de líderes opositores venezuelanos

O Ministério das Relações Exteriores divulgou hoje (1°) uma nota de repúdio ao governo venezuelano pela recondução à prisão em regime fechado dos opositores Leopoldo López e Antonio Ledezma. Os dois estavam em prisão domiciliar na Venezuela.

O governo brasileiro classificou a medida como uma falta de respeito aos pilares do regime democrático. “A volta à prisão de dois dos mais importantes opositores ao governo do presidente Nicolás Maduro é mais uma demonstração da falta de respeito às liberdades individuais e ao devido processo legal, pilares essenciais do regime democrático. O Brasil insta o governo venezuelano a libertar imediatamente López e Ledezma”, diz a nota.

A decisão do governo venezuelano foi anunciada um dia após a votação para a escolha de representantes da Assembleia Nacional Constituinte, que terá poderes ilimitados para promover reformas e mudar o ordenamento jurídico do país. A eleição, no domingo (30), foi marcada por protestos violentos no país que resultaram em pelo menos dez pessoas mortas. Governos de vários países anunciaram no domingo que não reconhecem a Assembleia Constituinte da Venezuela.

Na nota divulgado hoje, o governo brasileiro considera que a eleição da Constituinte representa uma “violação da ordem constitucional venezuelana”.

Agência Brasil

você pode gostar também