Com tempo seco, aumentam as ocorrências de queimadas na região

Sem chuva há várias semanas, a região já sofre com o aumento das ocorrências de incêndios, tanto nas cidades como na zona rural. Em Três Lagoas a fiscalização está sendo intensificada para punir os responsáveis. Em Castilho, o fogo atinge frequentemente regiões próximas à zona urbana e preocupa moradores. Nesta semana, um incêndio de grande proporções atingiu propriedades rurais de Gabriel Monteiro e Clementina. O Corpo de Bombeiros recomenda muito cuidado, porque uma simples bituca de cigarro pode desencadear um incêndio de grandes proporções.

Na sexta-feira, um Incêndio em um terreno baldio atingiu os fundos de três empresas no Distrito Industrial, em Três Lagoas. As chamas chegaram até o pátio de uma das indústrias. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a equipe levou duas horas para conter o incêndio. Não houve registro de feridos. Também não houve dano material, mas da vegetação.

Para combater este incêndio, quatro unidades foram utilizadas, sendo que, duas delas de combate a incêndios, uma de salvamento e um caminhão pipa do setor privado. O trabalho de combate ao incêndio mobilizou seis eram bombeiros militares, dois bombeiros civis e 10 brigadistas de uma das indústrias atingidas.

Em Castilho, os incêndios estão sendo cada vez mais frequentes, chegando até mesmo perto da cidade. Neste mês, ao atear fogo para limpeza de terreno, uma mulher acabou desencadeando um incêndio de grandes proporções que atingiu mais de 100 hectares de cana-de-açúcar. A cidade ficou coberta por uma densa nuvem de fumaça.

Em Castilho, outra região muito atingida por incêndios é a Ilha Cumprida, hoje uma reserva florestal. Embora a área seja desabitada, há informações de que caçadores a frequentam. Outra denúncia grave, mas que não foi feita de maneira oficial, é de que caçadores colocam fogo para encurralar animais e assim ficar mais fácil de abate-los.

SÃO PAULO
Em São Paulo, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil desenvolve um trabalho em todo o estado com as coordenadorias municipais, visando a conscientização da população para evitar incêndios neste período do ano. Da mesma forma, as concessionárias de rodovias desenvolvem campanhas juntos aos usuários das rodovias para adotarem medidas preventivas para evitar incêndios, que colocam em risco a segurança nas pistas.

MARECHAL RONDONA
ViaRondon e a Artesp (Agência de Transportes do Estado de São Paulo), alertam usuários e comunidades lindeiras para informações

importantes sobre como prevenir e como agir caso se deparem com um foco de incêndio ao longo da rodovia.

Uma das principais causas de queimadas nas rodovias, são as bitucas de cigarro que caem na vegetação seca e dão início aos focos de incêndio. “Por isso, alertamos: não jogue bitucas pela janela, além de ser lixo na rodovia, são o estopim para grandes incêndios”, diz nota da concessionária.

LIMPEZA SEM FOGO
Outro alerta é dirigido às comunidades lindeiras para não utilizar fogo para limpeza de terrenos. A baixa umidade do ar contribui para que as chamas se alastrem facilmente pela vegetação seca transformando uma simples limpeza em um evento sem controle.

LIGUE 193
Os usuários devem ligar para Corpo de Bombeiros (193) em caso de focos de incêndio nas rodovias.

CUIDADOS
A concessionária ainda recomenda aos usuários que, em caso de fumaça na rodovia: fechem os vidros do veículo, mantenham distância segura do veículo da frente, trafeguem com farol baixo ligado, obrigatório por lei, não liguem o pisca alerta com o veículo em movimento e não parem na faixa de rolamento.

Da Redação

você pode gostar também