Técnico novato, falta de confiança, carrasco: os desafios do Atlético na Copa do Brasil

Pressão da torcida, falta de confiança dos jogadores, futebol pobre. São muitos os fatores que colaboram para o ambiente de tensão que cerca a Cidade do Galo às vésperas de uma decisão na Copa do Brasil. O time alvinegro terá pouco tempo para trabalhar e se preparar para a dura missão de enfrentar o Botafogo, nesta quarta-feira, às 19h30, no Engenhão.

O técnico Rogério Micale assume o time nesta segunda-feira e começa a planejar a equipe que vai mandar a campo. 
O Galo será o segundo time profissional dele, que dirigiu apenas o modesto Grêmio Prudente em 2011. Por outro lado, foi campeão olímpico com o Brasil nos Jogos do Rio. Pela proximidade do jogo, o novo comandante alvinegro não terá tempo suficiente para fazer grandes mudanças no time. Mas ele pode levar um ânimo novo ao vestiário.

O técnico interino Diogo Giacomini já fez o diagnóstico de parte dos problemas: falta confiança aos atletas.”Conversei com os jogadores e disse que, se pudéssemos parar tudo e ficar um tempo até retornamos a confiança, seria muito fácil. Mas todos nós escolhemos essa profissão que tem sua competência julgada a toda quarta e domingo. Lamentamos não reverter essa situação em casa e não dar a vitória à torcida, que só protestou no fim, e com razão. Temos que nos reapresentar com cabeça erguida, porque estamos a um empate da semifinal da Copa do Brasil”, disse, após a derrota para o Vasco.

Micale já assume com o objetivo de levar o Atlético a títulos nesta temporada. O presidente do clube, Daniel Nepomuceno, deixou o recado na coletiva em que explicou os motivos da demissão de Roger Machado: “O Estadual foi bom, mas temos objetivos maiores neste ano”, disse o dirigente.

A pressão dos torcedores por resultados é grande. Na derrota para o Vasco, parte da torcida que foi ao jogo se reuniu nas proximidades do estacionamento do Independência para demonstrar insatisfação com o momento alvinegro. Eles gritavam “vergonha, vergonha”, entre outras palavras de ordem.

Por ter vencido o jogo de ida por 1 a 0, o Atlético tem a vantagem na partida de volta contra o Botafogo e pode se classificar com um empate. Mas nem isso traz tranquilidade. O Fogão é carrasco histórico do Galo na Copa do Brasil. Atlético e Botafogo se enfrentaram três vezes na competição: nas quartas de final de 2007 e 2008 e nas oitavas em 2013. O time carioca leva ampla vantagem: avançou em todas as ocasiões. Nesses confrontos, o Galo não conseguiu vencer (três empates e três derrotas).

Da Redação

você pode gostar também