Noite de bênçãos será hoje à noite na Carreata de São Cristóvão

O Santo é considerado o protetor dos motoristas, caminhoneiros, taxistas e de todos os transportadores. Em Três Lagoas, a carreata com a bênção dos veículos é uma tradição, porém, mais do que participar do trajeto, os fiéis são convidados a participar da Santa Missa e a rever as condutas que têm adotado no trânsito. “São Cristóvão é considerado o Santo protetor dos condutores, com esse intuito somos chamados a valorizar a Vida e ter mais tolerância e atenção no trânsito. Queremos a promoção da paz e a união e é com esse princípio que convidamos a todos para participar neste sábado da 18ª Carreata e Santa Missa de São Cristóvão”, diz Dom Luiz Knupp, Bispo da Diocese de Três Lagoas.
Por volta das 18h a carreata sairá em frente ao supermercado Thomé, na Avenida Capitão Olinto Mancini. O percurso, de aproximadamente uma hora, passará ainda pelo entorno da Lagoa Maior, irá até a Rua Paranaíba e seguirá até a Praça Senador Ramez Tabet. Em seguida haverá Santa Missa presidida pelo Bispo Dom Luiz Knupp e concelebrada pelos padres das Paróquias de Três Lagoas.
“São Cristóvão é considerado o Santo protetor dos condutores, com esse intuito somos chamados a valorizar a Vida e ter mais tolerância e atenção no trânsito. Queremos a promoção da paz e a união e é com esse princípio que convidamos a todos para participar no próximo sábado da 18ª Carreata e Santa Missa de São Cristóvão”, diz Dom Luiz Gonçalves Knupp, Bispo da Diocese de Três Lagoas (MS).
Após a Santa Missa, haverá benção dos veículos e distribuição de lembrancinhas do padroeiro dos motoristas.

SÃO CRISTOVÃO
O Dia de São Cristóvão coincide com o Dia do Motorista, justamente porque São Cristóvão é considerado o padroeiro dos caminhoneiros, taxistas, motoristas e viajantes em geral. Cristóvão é um nome que significa “o que leva Cristo” ou “aquele que carrega o Cristo”, e está intimamente ligado a história do santo.

Segundo consta, este era filho de um rei pagão que o dedicou ao deus Apolo e que se chamava Reprobus. Ele se tornou muito grande e forte (algumas versões dizem que se tornou um verdadeiro gigante) e decidiu que serviria apenas alguém muito forte, poderoso e corajoso.

Assim, ele encontrou um rei que achava ser muito poderoso, até ter conhecido Satanás, a quem começou a servir. Para Reprobus nenhum dos dois era corajoso o suficiente. Reprobus encontra mais tarde um eremita que o converte à fé cristã, embora este ainda não estivesse convencido que deveria jejuar e orar a Cristo.

Ele passava os dias ajudando pessoas a atravessarem um perigoso rio, até que um dia, ajudando uma criança a atravessar, notou que ela ia ficando cada vez mais pesada e ele sentiu como se o peso do mundo inteiro estivesse sobre os seus ombros. Do outro lado, a criança revelou ser o próprio Cristo, Criador do mundo. Daí ele passou a ser conhecido como Cristóvão, “o que carrega Cristo”.

Ordenado por Jesus a enfiar o seu bastão no chão do deserto, uma palmeira acabou nascendo naquele lugar – um milagre que fez com que muitas pessoas se convertessem ao cristianismo, mas que acabou na morte de São Cristóvão, decapitado pelo rei pagão que governava aquela região.

Da Redação

você pode gostar também