Prefeitura vai começar a notificar donos de trailers ativos ‘o mais breve possível’

A Prefeitura de Araçatuba informou que vai começar a notificar os proprietários de trailers afixados em praças públicas ativos, que estão em funcionamento? diariamente, nos próximos dias.

Embora não tenha confirmado uma data, o secretário da Fazenda, Josué Cardoso, que comanda a operação, disse que o trabalho começará a ser feito ‘o mais breve possível’.
Até agora, 25 trailers foram retirados de praças públicas. Deste total, 18 foram retirados pelos próprios donos e sete pela prefeitura.

“Vamos começar a notificar os que estão em atividades. Faltam a retirada de 2 do calçadão. Vamos começar os em atividades o mais breve possível”, disse Cardoso.
O secretário não informou um prazo para terminar todo o trabalho de retirada dos trailers, embora no mês passado a prefeitura tenha falado em aproximadamente 70 dias.
Cardoso disse, ainda, que “sempre foi preocupação da administração municipal” a situação dos comerciantes locais, que terão que sair de seus pontos comerciais nas próximas semanas. Eles reclamam que não têm onde trabalhar e que a retirada de todos os mais de 80 trailers existentes em praças da cidade deve gerar um desemprego indireto de aproximadamente 500 pessoas.

“Estamos em constante reuniões para ter uma saída pra isto. Inclusive estudando em outros municípios. Lembrando sempre que hoje estão irregulares e estamos estudando para haver a regulamentação”, disse.
O caso dos trailers em praças é antigo em Araçatuba. Basicamente, a prefeitura autorizou o funcionamento deles no passado e, para melhorar o serviço e atrair clientes, construções foram sendo feitas nas praças públicas, local que é proibido.

O Ministério Público, entendo que deveria ser cumprida a lei ou, para evitar a retirada, que ela pudesse ser regulamentada, instaurou inquérito para apurar o caso e pressionou a administração passada para fazer a retirada dos trailers. O caso se estendeu até março deste ano, quando o MP deu um ultimato e a prefeitura precisou agir.

No começo do mês, o MP soltou um comunicado dizendo que a ‘vitimização dos proprietários de trailers da cidade não merece crédito e que, pensando na dimensão do problema, estendeu os prazos várias vezes, porém nada foi feito para resolver o problema.

KAIO ESTEVES ARAÇATUBA

você pode gostar também