Região de Araçatuba fecha o semestre com milhares de novos postos de trabalho

Araçatuba registrou crescimento de quase 900 novos postos de trabalho com carteira assinada no primeiro semestre de 2017, segundo dados divulgados pelo Caged (Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados), órgão do Ministério do Trabalho.

De acordo com os números, os diversos segmentos econômicos da cidade contrataram 11.753 trabalhadores no período e desligaram 10.862. O saldo é de 891 novos empregos em seis meses.

Outras cidades da região também registraram crescimento como Andradina, que gerou 319 novos empregos, Penápolis com 122 novos postos de trabalho e Birigui, que despontou como a maior geradora de emprego no período na região, com 1.784 novas vagas.

Em Três Lagoas (MS), houve a criação de 202 novas vagas no semestre. Já em Lins, o saldo no período foi negativo com o fechamento de 752 empregos.

BRASIL

O Brasil fechou o mês de junho com novo saldo positivo na criação de empregos. Foram abertos 9.821 postos de trabalho, em todo o país – uma variação de +0,03% em relação ao estoque do mês anterior.

Esta foi a terceira expansão consecutiva e a quarta registrada este ano. “Este resultado confirma, mais uma vez, a tendência de recuperação gradual do mercado de trabalho do Brasil”, comentou o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

O resultado de junho reflete a diferença entre 1.181.930 admissões e 1.172.109 desligamentos. No acumulado do ano, o crescimento chega a 67.358 vagas abertas, representando expansão de 0,18% em relação ao estoque de dezembro de 2016. Em igual período de 2016, o saldo foi negativo em -531.765.

No mês de junho, o saldo positivo do Caged foi impulsionado pela agropecuária e pela Administração Pública. Em maio, foram gerados 36.827 novos postos de trabalho na agropecuária, repetindo o desempenho do setor em maio, quando registrou um saldo positivo de 46.049 novas vagas. O setor de produção de café repetiu o desempenho do mês de maio e foi novamente o destaque do período, com 10.804 vagas abertas, concentras em Minas Gerais.

A Administração Pública fechou o mês com a criação de 704 novas vagas de emprego, um aumento de 0,08%.

Já os demais setores tiveram saldo negativo de emprego, com mais fechamentos de vagas que aberturas, como a construção civil (redução de 8.963 postos de trabalho), indústria de transformação (redução de 7.887 postos), serviços (redução de 7.273 postos) e comércio (com o fechamento de 2.747 vagas de trabalho).

A expectativa do governo federal é a geração de 2 milhões de postos de trabalhos nos próximos dois anos. A previsão, segundo Nogueira, será conduzida por atividades que utilizam contrato com jornada parcial, trabalho intermitente e home office – quando o trabalhador exerce suas atividades de casa ou em outro local fora da empresa. (Com informações da Agência Brasil).

DA REDAÇÃO – Araçatuba

você pode gostar também