Secretário anuncia estádio em ordem para AEA e Tigrão disputarem o Campeonato Paulista Sub-20

O secretário municipal de Esporte, Lazer e Recreação de Araçatuba, Omar Augusto Miquinioty Júnior, fala de seus seis meses à frente da Pasta. Uma novidade é o estádio Adhemar de Barros reformado, equipado e com alvarás em ordem para ser usado. Ele revela que a AEA e Tigrão disputarão o Campeonato Paulista Sub-20 da 2ª Divisão neste semestre. O secretário também fala de projetos esportivos para crianças nos bairros e sobre o corte da ajuda que administrações anteriores davam a campeonatos de minicampo. Acompanhe os principais trechos da entrevista:

 

O LIBERAL – Qual o balanço que o senhor faz dos seus seis meses na Secretaria Municipal de Esporte?

SECRETÁRIO – Balanço positivo. Estamos trabalhando com seis pilares de gestão. O primeiro pilar é o de instalações e espaço: envolve ginásios, estádio e todas as praças esportivas. O segundo pilar: equipamentos e materiais, que envolve todos os materiais esportivos. O terceiro pilar: planejamento administrativo e financeiro. Quarto pilar: todo o desenho técnico da secretaria, toda a programação e modalidades. Quinto pilar: recursos humanos. E o sexto pilar: comunicação e marketing. Dentro desses pilares, a gente desenha a nossa gestão.

 

O LIBERAL – No atendimento à população, o que foi feito nestes seis meses?

SECRETÁRIO – Instalamos 12 pontos de iluminação na praça Getúlio Vargas, a manutenção da grama está sendo com mais constância, iluminamos o sombrite da academia. Nas piscinas (anexo ao ginásio Plácido Rocha), vamos instalar cobertura na piscina menor. Os alvarás do complexo esportivo estão todos em dia (ginásio de esportes e estádio). No Matarazzo (ginásio de esportes) colocamos seis ventiladores na cancha de bocha. O Matarazzo está fechado para reforma. No Plácido Rocha, nós botamos em funcionamento o placar eletrônico e os climatizadores. No Vavá, acabamos com um problema de 20 anos: as pombas. O que fizemos mais mesmo foi no estádio: tiramos vazamento hidráulico e estamos fazendo limpeza mais apurada. Fizemos a pavimentação embaixo da arquibancada e instalamos bebedouro com água gelada e filtrada ao público. Reformamos os vestiários, que estão novinhos. Tudo em parceira. A própria AEA e o Tigrão ajudaram a arrumar patrocínio para as reformas. Hoje o estádio está liberado com todos os alvarás para jogo profissional. Só a arquibancada geral está interditada.

 

O LIBERAL – Só falta time …

SECRETÁRIO – Vamos ter dois. A AEA e o Tigrão disputarão o Sub-20 da Federação Paulista (Campeonato Paulista da Sub-20 – 2ª Divisão) agora no segundo semestre.

 

O LIBERAL – A prefeitura irá colaborar só com o estádio ou dará algum outro apoio?

SECRETÁRIO – O estádio em condição de jogo.

 

O LIBERAL – E aquele projeto de atividades nos bairros ?

SECRETÁRIO – Na parte técnica estamos com o projeto Delícia e Férias (atividade recreativa para jovens de 6 a 17 anos.), uma semana em cada bairro, das 14h às 17h, em quatro escolas durante o mês de julho, com os seis novos técnicos contratados pela Secretaria.

 

O LIBERAL – Há três meses o senhor falou ao LIBERAL sobre o Programa Atleta do Futuro. Já começou?

SECRETÁRIO: O Projeto Atleta do Futuro é uma parceria entre a prefeitura, o Sesi e a Color Visão (ColorMaq), empresa madrinha. O Sesi está entrando com a metodologia de base científica e com uniforme para as crianças, a prefeitura entra com o espaço físico e a Color Visão vai nos ajudar patrocinando um pouco do material esportivo e um festival no final do ano. Inicialmente serão 400 crianças. Dos 6 aos 8 anos as crianças aprenderão base motora, com vivência múltipla de várias modalidades. Dos 9 aos 10 anos, vivência de esportes, várias modalidades. Aos 11 anos, as crianças escolhem o esporte em que têm mais interesse. O contrato será assinado em agosto.

 

O LIBERAL – Onde o Projeto Atleta do Futuro será desenvolvido?

SECRETÁRIO – Estamos revitalizando o CAIC, no São José. Vamos reativar o minicampo e a quadra poliesportiva. Então um dos polos do Atleta do Futuro será no Caic. Outro polo será no CSU (Juçara). Além das escolas municipais.

 

O LIBERAL – O auxílio-atleta também foi reativado ?

SECRETÁRIO – Sim o auxílio-atleta contemplava até o ano passado 60 atletas. Neste ano, com a mesma verba estamos atendendo a 85. O auxílio-atleta no valor global de R$ 26 mil por mês era distribuído para 16 modalidades e hoje atende a 24. Tínhamos 11 bolsistas em Faculdade e aumentamos para 16.

 

O LIBERAL – Qual a colaboração da prefeitura para o Real Madruga (time de futsal que está disputando o Campeonato Paulista da Série A3) ?

SECRETÁRIO – Entramos com o pagamento da arbitragem (quando o jogo é em Araçatuba) e alimentação (quando é fora). Também cedemos o local do jogo, que é o ginásio Plácido Rocha, que estava fechado, mas hoje tem uma grade de atividades o dia inteiro, de manhã até a noite. Queremos fomentar essa modalidade e por isso estamos apoiando mais quatro escolinhas de futsal da cidade para que também disputem o Paulista.

 

O LIBERAL – E algumas modalidades como vôlei, basquete e handebol que sempre participaram de competições federadas?

SECRETÁRIO – Temos títulos inéditos neste ano. Nossa equipe de futsal feminino ganhou a Copa TV TEM e o Real Madruga chegou à semifinal. Nos Joguinhos da Juventude, o nosso judô masculino foi campeão geral. A nossa ginástica rítmica conseguiu a melhor classificação da história nos Joguinhos da Juventude, ficando em terceiro lugar. Fora o basquete que joga a Liga (Liga de Basquete do Centro-Oeste Paulista).

 

O LIBERAL – E os Jogos Regionais?

SECRETÁRIO – Estamos participando com 409 atletas, em 21 modalidades e 37 equipes. Todos de Araçatuba. Não temos atletas contratados. O que nós temos são atletas que são amigos de um ou de outro, que vem ajudar Araçatuba. São pouquíssimos, em duas ou três modalidades.

 

O LIBERAL – As administrações anteriores pagavam a taxa de arbitragem de algumas competições de minicampo. Nesta administração essa ajuda foi cortada. Por quê ?

SECRETÁRIO – Não é que foi cortado. Neste ano, pelo orçamento que temos, precisamos traçar prioridades. Nossa prioridade foi ajudar as escolinhas de crianças. Então ajudamos escolinhas de futsal e de futebol de campo para disputar os campeonatos da Lifmar. Então não temos recurso para investir no minicampo, que são de adultos, pessoas que trabalham. Estamos trabalhando para que no ano que vem a gente possa ajudar. A nossa intenção é ajudar com premiação.

 

O LIBERAL – A secretaria tem algum projeto para corrida de rua, um esporte que tem crescido muito em todo o País?

SECRETÁRIO – Estamos em fase de observação de um projeto de corrida de rua. Uma empresa quer fazer uma parceria conosco. Da secretaria essa empresa quer apenas apoio logístico. Essa empresa vai cobrar as inscrições para fazer o campeonato. Uma etapa seria agora em dezembro e mais quatro etapas em 2018. Outras corridas que estão sendo disputadas aqui tempos ajudado com apoio logístico.

 

O LIBERAL – Nesses seis meses de administração o volume de trabalho e o grau de dificuldade para desempenhá-lo está aquém, além ou dentro do esperado?

SECRETÁRIO – Está dentro do esperado. Eu já imaginava as dificuldades que a gente teria por questões orçamentárias para ter de adquirir material esportivo, que estava zerado. Nossa prioridade é dar condições de transporte (temos um ônibus e outros dois estão quebrados, que a gente pretende arrumar no segundo semestre), dar condições estruturais, que são o uso nas praças esportivas e dar condições para que os técnicos tenham material para trabalhar. Tudo isso exige planejamento.

Da Redação

você pode gostar também